Serão embarcados em 2003 os primeiros
50 milhões de litros.

A partir da próxima safra de cana-de-açúcar, que começa em abril, os produtores de álcool do Paraná estarão dando início a um contrato regular de exportação do produto para o mercado europeu. Serão embarcados, em cinco anos, um total de 350 milhões de litros de álcool tipo industrial.

O contrato – avaliado em US$ 70 milhões, e que prevê para 2003 o embarque dos primeiros 50 milhões de litros – será assinado nesta próxima quinta-feira às 18:30h em Maringá, no Golden Ingá, durante solenidade que reunirá lideranças do setor paranaense e dirigentes da Alcotra S.A., uma trading sueca.

A negociação foi realizada através da empresa CPA Trading, de Maringá, formada recentemente por um grupo de usinas e destilarias do Estado com o objetivo de ampliar mercado para o álcool.

Segundo o presidente da Alcopar (Associação dos Produtores de Álcool e Açúcar do Estado do Paraná), Anísio Tormena, o fato é relevante por tratar-se do primeiro contrato regular de exportação de álcool paranaense.

Tormena explicou que CPA foi criada para prospectar negócios para o excedente da produção estadual. “Nossa prioridade é abastecer o mercado interno, mas a oportunidade de exportar pode fazer com que os empresários tenham sustentabilidade para ampliar a produção nos próximos anos”, acrescentou.

O presidente da CPA Trading, Dagoberto Delmar Pinto, explica que o produto, não carburante, encontra uma série de destinações na indústria. Os embarques, direcionados para a Suíça, serão incrementados em 10 milhões de litros a cada ano até chegar a 90 milhões em 2007.

Para a assinatura do contrato em Maringá está confirmada a presença dos executivos da Alcotra, Philipppe Meeus e Kenneth Charles Edmund Light.

A rigor, a exportação de álcool industrial já não é novidade no Estado. Há menos de dois meses, a cooperativa Copagra, de Nova Londrina, foi pioneira ao dar início ao embarque de um lote do produto para a Inglaterra.

A safra paranaense de álcool, período 2002/03, encerrada recentemente, ficou ao redor de 1 bilhão de litros, segundo cálculos da Alcopar. No Estado há 27 unidades fabricantes concentradas nas regiões Norte e Noroeste, que produziram também 1,350 milhão de toneladas de açúcar. Juntas, essas empresas empregam 70 mil trabalhadores.

As usinas já são tradicionais exportadoras de açúcar, destinando ao mercado externo cerca de 60% do que produzem. A Rússia tem sido, nos últimos anos, o principal cliente das empresas paranaenses.