A taxa de câmbio do euro não representa um problema para a economia da zona euro, de acordo com o membro do Conselho da autoridade monetária do Banco Central Europeu (BCE), Luc Coene.

O presidente do Banco Nacional da Bélgica disse em uma coletiva de imprensa na terça-feira que o nível atual do euro não mostra “absolutamente nenhum problema”. A taxa de câmbio atual do euro “está abaixo do nível médio, então eu não vejo nenhum problema lá”, disse ele.

Ao apresentar o relatório econômico anual do banco central belga, Coene disse que o anúncio do programa OMT de compra de bônus do BCE havia eliminado a parte dos spreads da taxa de juro que estava ligado aos ricos de redenominação de câmbio. A maior redução dos spreads dependeria das reformas econômicas nacionais, disse ele.

Os spreads das taxas soberanas “descem para um nível muito mais razoável” e agora “refletem as condições econômicas de suas bases”, disse Coene. Ganhos adicionais “dependerão de uma melhoria durável em condições econômicas e em finanças públicas”, afirmou.

No geral, Coene declarou que as condições de mercado financeiro da zona do euro melhoraram substancialmente, mas não o suficiente para dizer que a crise acabou. “Há ainda a fragmentação considerável e, para o banco central, isso é um grande desafio”, disse o membro do conselho. “Ainda há um longo caminho a percorrer”.

Coene advertiu que amenização da crise da dívida pode representar alguns problemas para os países centrais, como a Bélgica, uma vez que as taxas de juros, que têm sido baixadas por uma fuga de investimentos para fora da periferia por investidores em busca de qualidade, devem voltar para níveis mais normais.

“Temos de esperar que, mais cedo ou mais tarde, uma vez que os problemas na zona do euro forem resolvidos e a confiança voltar, as taxas retornarão ao normal”, disse Coene. “Isso vai criar dificuldades para o orçamento belga”.

Coene também alertou que pode haver uma recaída na crise se as reformas anunciadas para as economias nacionais e para as instituições da UE não forem implementadas de forma oportuna.

“Agora é o momento de construir sobre a base de confiança e implementar tudo que foi anunciado”, disse ele. “Mais confiança levará a um melhor ambiente econômico em 2013 e 2014”. As informações são da Dow Jones.