Requião: convênio de cooperação.

O fluxo comercial do Paraná para o Canadá, no primeiro trimestre deste ano, aumentou em 176%, em comparação com igual período do ano passado. Até final de março último, os embarques de produtos paranaenses para os canadenses atingiu a US$ 32,1 milhões, contra US$ 11,6 milhões dos primeiros três meses de 2003.

Empresas paranaenses exportaram bens no valor de US$ 124 milhões para o Canadá em 2003, enquanto as importações daquele país atingiram a US$ 48 milhões.

O governador Roberto Requião e o secretário da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Luis Mussi, apresentam esses resultados nesta segunda-feira no Canadá a empresários locais reunidos na Câmara de Comércio de Montreal, durante a exposição que farão sobre o comércio bilateral.

“Esses números comprovam que há ainda campo para ampliarmos substancialmente as trocas comerciais entre o Estado do Paraná com a província de Québec, uma das áreas mais industrializadas do Canadá”, avalia o secretário Mussi.

A posição geográfica privilegiada do Paraná em relação ao Mercosul e às regiões de maior poder econômico do Brasil será outro aspecto importante a ser enfatizado pelo secretário Mussi aos investidores canadenses. “Em um círculo com raio de cerca de mil quilômetros de distância de Curitiba situa-se um mercado de 124 milhões de consumidores com um PIB da ordem de US$ 800 milhões”, enfatizará.

A missão comercial e empresarial paranaense ao Canadá, liderada pelo governador Roberto Requião, se restringirá à província industrial de Québec, onde estão situadas as grandes empresas do país com interesses no exterior.

“Por seu perfil econômico e social, o Canadá pode se constituir em um grande parceiro do Paraná, seja na continuidade e incremento dos investimentos no nosso Estado, seja na formação de joint ventures (cooperação entre empresas) ou na transferência de tecnologia e na intensificação do comércio de bens e serviços”, acrescenta Mussi.

Produtos

Atualmente, entre os principais produtos que o Canadá exporta para o Paraná situam-se aparelhos e componentes para telefonia e transmissão de dados, papéis especiais, ovos para matrizes poedeiras e máquinas injetoras para indústrias de plásticos.

O Paraná embarca para o Canadá, segundo o secretário, veículos e componentes automotivos, componentes para a construção civil, portas e janelas de madeira, chapas e placas de compensado, ladrilhos e revestimentos cerâmicos e ainda café solúvel.

Ainda segundo o secretário Mussi, o crescimento da balança comercial bilateral tem condições de não apenas ser ampliada, mas também incrementada a partir dessa missão, com a inclusão de novos negócios, aumento de investimentos diretos de empresas canadenses.

“Temos essa confiança principalmente em segmentos industriais em que temos interesses convergentes, como no agronegócio (setor madeireiro e de grãos), tecnologia da informação, infra-estrutura de transporte de cargas e passageiros e também na geração de energia elétrica.”

Em Québec, o governador Roberto Requião e o primeiro-ministro Jean Charest assinarão um convênio de cooperação entre o Estado do Paraná e a Província de Québec. O documento, com prazo de duração mínima de quatro anos, prevê o desenvolvimento da cooperação bilateral, com base em pesquisa comum que leve em consideração os interesses mútuos, de modo a gerar resultados concretos e, se for o caso, associando parcerias com outros governos.

O convênio prevê também a organização de seminários, conferências, simpósios, exposições e feiras, no Paraná e em Québec; intercâmbio de estudantes e professores, pesquisadores no quadro de programa de formação de projetos e pesquisas e execução de iniciativas conjuntas de cooperação que tenham interesse comum.