A Bolsa de Chicago quer instalar no Paraná um escritório de representação para avaliação das commodities exportadas pelo Porto de Paranaguá e que são comercializadas na bolsa norte-americana.

O anúncio sobre o escritório foi feito ontem pelo governador. De acordo com Requião, a escolha da Bolsa de Chicago deve-se à importância do Porto de Paranaguá na exportação de mercadorias. Requião ainda reforçou sua decisão em relação à proibição dos produtos transgênicos no Paraná. Disse que enquanto está sofrendo uma campanha brutal por parte das multinacionais interessadas na privatização do porto, os produtores da Califórnia (EUA) proibiram o plantio de sementes de arroz transgênico por pressão do mercado, já que o Japão é o principal comprador do arroz norte-americano. Também os canadenses desistiram de cultivar o trigo transgênico por falta de mercado.

O governador salientou que não está contra as pesquisas biotecnológicas, mas observou que o tema precisa ser tratado com cuidado para preservar o mercado externo tão duramente conquistado.