Apesar do ciclone extratropical – que atingiu a região sul do país neste fim de semana – já ter se desfeito no Oceano Atlântico, os técnicos ligados à Defesa Civil recomendam cautela aos condutores de pequenas e médias embarcações e aos pescadores que estiverem no litoral sul atingido pelo fenômeno climático.

Segundo a meteorologista da Secretaria Nacional de Defesa Civil, Cristina Lourenço, a passagem do ciclone pelo litoral do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e parte da região sul do Estado de São Paulo, ainda pode trazer alterações no clima e no tamanho das ondas em alto mar.

?Mesmo depois de passada a fase crítica do ciclone, em que os ventos variaram de 80 a 100 quilômetros, ainda hoje é preciso ficar em alerta. Já a partir desta segunda-feira, a situação estará mais tranqüila?, disse a técnica, lembrando que, apesar da situação estar sob controle, novos ciclones semelhantes ao formado neste fim de semana devem aparecer ao longo dos próximos meses. ?Este tipo de ciclone é típico nesta época do ano, mas apesar de ser completamente diferente do ciclone Catarina, ele também pode trazer estragos?, disse.

A Defesa Civil estima que mais de nove municípios da região Sul, especialmente do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, foram prejudicados pelos fortes ventos. Segundo os técnicos, ainda não é possível quantificar a dimensão dos estragos, mas até o fim desta semana o Ministério da Integração Nacional deve concluir um levantamento sobre os impactos do ciclone extratropical na região.