A Defesa Civil do Paraná está mobilizada para atender os desabrigados por causa das chuvas que estão atingindo o Litoral do Estado desde o último sábado. A situação mais crítica é na cidade de Morretes, onde os rios Pinto e Marumbi transbordaram e o Nhundiaquara está com a capacidade máxima. O prefeito da cidade, Helder Teofilo dos Santos, no início da tarde, desta segunda-feira, decretou situação de emergência.

Segundo o chefe da Divisão da Defesa Civil, capitão Everon Puchetti, “o governador Roberto Requião determinou que o coordenador estadual da Defesa Civil, Capitão Anselmo, coordenasse as ações de socorro”. Puchetti explicou que foi montada uma base avançada, na cidade de Morretes, ao lado do Colégio Rocha Pombo e toda a estrutura da Defesa Civil está trabalhando para socorrer os desabrigados.

Em Morretes, até o meio-dia desta segunda-feira (27), 500 residências da área rural haviam sido afetadas pelas chuvas, deixando 1500 pessoas desabrigadas. Parte dos telefones móveis e celulares da cidade não está funcionando e a Defesa Civil está utilizando a rede de rádios amadores para se comunicar.

A Prefeitura Municipal, Corpo de Bombeiros e a Polícia Florestal também estão prestando socorro aos desabrigados.

As cidades de Guaratuba e Matinhos também foram atingidas pelas chuvas, deixando algumas pessoas desabrigadas.

Estradas

Mais de dez ocorrências de queda de barreiras foram registradas desde o domingo (26), sendo que três, consideradas as mais graves, ocorreram entre os quilômetros 43 e 47. Na BR 277, logo após o viaduto do Caruru, houve uma queda de barreira que ocupou meia pista fazendo com que a Polícia Rodoviária trabalhasse no esquema de “comboio”, onde carros sobem e descem numa mesma pista.

Segundo previsão da Simepar, mais chuvas deverão atingir o Estado, principalmente o Litoral, durante os próximos dias. Sendo assim, o governo solicitou que as equipes da Defesa Civil estejam em prontidão para atender a todas ocorrências.