enkontra.com
Fechar busca

Notícias

Dançarina brasileira é morta a facadas em NY

  • Por Jornalista Externo

Duas brasileiras foram esfaqueadas ontem em Woodside, no bairro de Queens, em Nova York, por um homem que uma delas conheceu horas antes em um “clube de topless” do Queens, disse a polícia local, segundo o jornal norte-americano “The New York Times”. Uma delas, que trabalhava como dançarina no bar, morreu. Ontem de manhã, os vizinhos escutaram uma das mulheres gritando, seminua, na calçada de seu prédio, onde a outra mulher foi morta.

A polícia disse ao “New York Times” que a amiga da vítima ligou para o serviço de emergência durante o assassinato. O suspeito de ter matado a brasileira, Aaron Gutierrez, 24, foi detido perto do local sob acusação de assassinato e posse de arma. Ele estava em liberdade sob fiança por uma acusação anterior de tentativa de estupro.

O crime de ontem, segundo informações da polícia dadas ao jornal, aconteceu após uma longa noite na qual Gutierrez encontrou uma das mulheres (segundo a polícia uma dançarina de 25 anos), no bar Candlewood Inn. Segundo funcionários do bar, todas as dançarinas que trabalham lá são brasileiras, como a vítima.

Eles teriam ido a um hotel em Queens Boulevard, e depois para o apartamento. A outra mulher, uma brasileira de 35 anos que segundo os vizinhos é trabalhadora da construção civil, já estava lá. O que aconteceu depois não é claro, segundo o jornal . Gutierrez disse à polícia que quando estava entrando no banho foi atingido na cabeça por uma garrafa. Ele disse que virou-se e viu as duas mulheres com uma faca de cozinha, que ele teria arrancado de sua mão.

Não se sabe o que aconteceu na sequência, e depois o suspeito fugiu. Gutierrez alegou que não se lembra de ter esfaqueado a dançarina, que tinha ferimentos no pescoço, no abdome e no peito, disse a polícia ao jornal. Ele tinha ferimentos na cabeça e cortes nas mãos.

A polícia não divulgou os nomes das mulheres. A sobrevivente foi levada ao hospital com ferimentos de facadas no pescoço e nos ombros, braços, mãos e joelhos. Ela foi liberada e levada a prestar depoimento ontem à noite, segundo a polícia.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas