A vereadora Fabiane Rosa ( PSD), foi transferida para a penitenciária de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, na noite desta segunda-feira (27), após ficar boa parte do dia na sede do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), no bairro Ahú. A vereadora é suspeita de fazer parte do esquema conhecido como rachadinha, quando o parlamentar fica com parte do salário de seus funcionários do gabinete. A defesa de Fabiane Rosa, protocolou nesta manhã de terça-feira, um habeas corpus na tentativa de liberá-la do sistema prisional.

A prisão de Fabiane foi realizada pelo Gaeco com buscas na residência e também no gabinete na Câmara Municipal de Vereadores. Denúncias partiram de ex-funcionários da vereadora. Segundo a assessoria de imprensa da vereadora, não houve qualquer prática ilegal durante o mandato e rapidamente será restabelecida a verdade. Além disto, confirmou que aguarda a definição do habeas corpus que foi protocolado nesta terça-feira.

+Leia mais! Secretária de saúde de Curitiba: “Começamos a quarentena cedo demais”