Uma cobrança indevida no cartão de débito de uma corrida do aplicativo 99 causou indignação de uma passageira na noite do domingo (15) em Curitiba. O motorista teria passado R$ 1.018,90 por uma viagem que custou R$ 18,90. O trajeto ia do bairro Bigorrilho ao Novo Mundo.

A passageira, de 66 anos, não percebeu o valor incorreto porque estava sem óculos. Depois que já tinha descido do carro e entrado em casa, ela recebeu um SMS pelo celular, informando a transação. Sem conseguir contato com o motorista por meio do SAC da 99, o caso foi denunciado pela filha dela no Facebook e viralizou. O motorista prometeu devolver o valor.

+ Leia mais: Cadastro para motoristas de aplicativo termina no dia 21? Prefeitura esclarece!

Segundo a filha da passageira, a empresária Janaína Miquelleto Tolotti, 41 anos, a família entrou em contato com a 99 assim que percebeu a cobrança indevida. A empresa teria se isentado da responsabilidade, informando que não pode interferir em pagamentos feitos direto aos motoristas.

“Não conseguimos nem o contato do motorista para poder reclamar”, disse Janaína, que se indignou com a resposta da empresa e decidiu usar o Facebook para contar a história. “Foi uma forma de reclamar e demonstrar que sim, a empresa tem responsabilidade”, reclamou.

Na segunda-feira (16), mãe e filha foram até uma delegacia da Polícia Civil registrar boletim de ocorrência (B.O.). No exato momento em que registravam o B.O., Janaína recebeu mensagem do motorista pelo Facebook. “Ele viu a minha postagem e pedia que eu entrasse em contato urgente com ele. A conta do condutor tinha sido bloqueada pela 99 e só seria liberada após ele me devolver o valor cobrado a mais”, contou a filha.

+ Leia ainda: Circulação de condenados com tornozeleiras leva medo a bairro nobre de Curitiba

Com o contato feito, a família resolveu não fazer o B.O.. Segundo a Janaína, na tarde desta terça-feira, ela e o motorista devem se encontrar no escritório da 99, em Curitiba, para tratar da devolução do dinheiro e da liberação da conta do condutor no aplicativo. “A 99 informa que esse tipo de liberação só é feito na presença das duas partes. Espero que tudo se resolva hoje. A polícia nos orientou a procurar a Delegacia de Estelionatos, mas ainda não fomos. Espero não me arrepender”, disse.

Colaborando com a polícia

Sobre o caso, a 99 informa que recebeu a denúncia da passageira sobre a cobrança indevida. A empresa confirma que bloqueou o motorista e que está disponível para colaborar com a investigação da polícia. A 99 ainda esclarece que consegue mapear, rastrear e agir nos pagamentos feitos por meio do app, quando o cartão está cadastrado para pagamento automático no sistema.

“Quando o passageiro opta por pagar diretamente ao motorista, que é um profissional autônomo, dentro do carro, a companhia recomenda que ele verifique o valor da cobrança e se atente para qualquer alteração, como o faria em qualquer estabelecimento” diz a 99, em nota.

Segundo a empresa, a qualidade dos condutores é avaliada e medidas como o bloqueio do perfil do motorista são tomadas em caso de comportamentos que vão contra os Termos de Uso da plataforma.