Um mês após prometerem que todas as 10 regionais de Curitiba ganhariam postos de atendimento para a emissão de carteiras de identidade, somente agora a prefeitura de Curitiba e o governo do Paraná firmaram o convênio para a cessão dos espaços destinados ao serviço. A ideia é pôr um fim à novela que se tornou conseguir um RG na cidade.

O acordo foi feito na noite da última segunda-feira (02), exatamente um mês após o governador Beto Richa afirmar que o documento poderia ser feito em todas as Ruas da Cidadania até o aniversário de Curitiba, 29 de março. O prazo terminou e, até agora, apenas as regionais do Boqueirão, Fazendinha e Cajuru receberam o serviço.

Leia mais: Mutirão da Cidadania é a chance para quem quer fazer RG na regional do Pinheirinho.

De acordo com o prefeito Rafael Greca, o processo de expansão no atendimento ainda vai levar algum tempo, pois será feito em etapas. “Não é fácil, porque os investimentos nos programas para a produção das carteiras de identificação são específicos, por questões de segurança. Então será um processo paulatino de implantação”, explicou. No entanto, não foi dito quando as demais unidades devem começar a operar.

Enquanto isso não acontece, os curitibanos que precisam do documento precisam lutar contra o sistema do Instituto de Identificação do Paraná (IIPR), que segue apresentando problemas mesmo após as mudanças apresentadas pelo governo do estado, ou acordar cedo para enfrentar os mutirões realizados mensalmente pela prefeitura. O próximo acontece a partir desta quinta-feira (5) na Rua da Cidadania do Pinherinho. Em março, a Gazeta do Povo encontrou pessoas que passaram 17 horas na fila para garantir o atendimento.