Bolo de chocolate, pão doce polvilhado com farofa, chineque de banana, café e chá. Esse é o cardápio servido gratuitamente durante todo o dia para quase 300 familiares de pacientes que procuram a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. Por mês, são servidos no local 400 kg de produtos com um investimento aproximado de R$ 4 mil.

A ação – chamada de “Lanche Solidário” – é custeada pela prefeitura de Araucária e possui acompanhamento da Vigilância Sanitária do município. Por isso, todos os bolos e pães são preparados por empresas autorizadas e embalados individualmente com data de validade exposta na parte externa.

“Em situações de emergência, a pessoa não tem tempo de comer antes de sair de casa e muitas não têm dinheiro para comprar algo depois. Então, queremos servi-las”, afirmou o diretor-geral da Secretaria de Saúde do município, Paulo Cesar Sabim.

A dona de casa Nadir Gonçalves, de 56 anos, foi uma das acompanhantes que precisou do serviço, após sair às pressas de casa na madrugada desta quarta-feira (18) após seu pai passar mal. “Saí correndo e agora estava tremendo de fome porque demora para ele fazer todos os exames”, disse na manhã desta quarta.

Cinco funcionárias se revezam em turnos para preparar o café, o chá e organizar o balcão. O trabalho começa às 7h e segue durante todo o dia repondo os produtos. “A última reposição acontece às 23h30, e esses pães ficam disponíveis a quem procura a unidade durante a madrugada”, explicou Sabim.

Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

E nem sempre é necessário se aproximar do balcão para escolher o que comer. Nos momentos de maior movimento do local, é comum ver as servidoras caminhando pelos corredores para distribuir os lanches diretamente às pessoas que aguardam. “Eu faço isso com o maior prazer”, comentou a servente Santina Dal Ponte Bastos, que é identificada pelo seu uniforme e pela touca.

História

A ideia do “Lanche Solidário” começou no segundo semestre de 2017, quando membros das secretarias de Saúde e de Assistência Social se uniram à secretaria de Governo para formalizar o projeto. “Começamos com apenas uma opção de pão que já era recebida pela Secretaria de Assistência Social”, explicou o diretor-geral da Secretaria de Saúde.

Segundo ele, a novidade foi bem recebida pela população e a prefeitura abriu o processo licitatório para atender somente o projeto. “Três empresas venceram, cada uma servindo um produto diferente”, informou o diretor geral da Secretaria de Saúde. O quilo dos pães doces – com aproximadamente 15 unidades – custa R$ 8,30. Já o quilo do bolo de chocolate vem com 28 unidades embaladas pelo valor total de R$ 11,30.

O ação ainda está em fase de testes, mas Sabim adianta que o objetivo é torná-la oficial e expandir o atendimento. “Estamos aprimorando primeiro aqui. Depois, talvez possamos levar o projeto para nossos postos de saúde, que são 21 espalhados pela cidade. Mas tudo depende de estudo”, pontua.

Não são necessárias doações

Não há necessidade de doações da população. Os produtos são entregues à unidade duas vezes por semana, dentro dos padrões estabelecidos pela Vigilância Sanitária. “Já aconteceu de virem oferecer doações de pães e bolos. Aí nós agradecemos e pedimos educadamente que busquem outro local para realizar a doação”, disse Maria José Ribeiro, coordenadora da UPA Araucária.

“As pessoas vêm à unidade no momento de dor, de sofrimento e, às vezes, precisam aguardar além do que gostariam. Então, oferecer esse cuidado humaniza o atendimento”, afirmou Maria.

‘Cagueta’ sobrevive e manda três pra prisão, ao dar com a língua nos dentes