O presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia, promete que vai debater com prefeituras da região metropolitana de Curitiba (RMC) a criação de um cadastro único de motoristas de aplicativos, como Uber, 99 e Cabify. O canal de debate será aberto após protesto dos motoristas com cerca de 200 veículos na frente da prefeitura de Curitiba e de São José dos Pinhais na última segunda-feira (27).

O anúncio da Urbs, empresa municipal que gerencia o transporte coletivo na capital, agradou os representantes dos motoristas. “Estamos bem otimistas após o Ogeny Pedro Maia, presidente da Urbs, nos receber. Devemos ter nos próximos dias uma reunião com outros municípios. São José dos Pinhais já deu o sinal positivo para o cadastro”, relata Paulo Sérgio de Lima, um dos representantes dos motoristas.

LEIA+ Prazo pro pagamento do IPTU está perto do fim. Tire suas dúvida

O cadastro único em Curitiba e RMC facilitaria a vida dos motoristas de aplicativos, que não precisariam se cadastrar em cada uma das cidades. Além disso, ajudaria na mobilidade urbana, já que os veículos poderiam atender corridas entre os municípios próximos.

A ideia da Urbs de que o cadastro de Curitiba seja usado pelas outras cidades. “Veremos se é possível espelhar o registro que estamos fazendo em Curitiba para as prefeituras das outras cidades. Assim tentaremos evitar que os motoristas tenham que cadastrar em todos os municípios, um a um”, explica Maia Neto.

Prazo

Em Curitiba, o cadastro dos motoristas termina nesta sexta-feira (31). Até a semana passada, 17,2 mil enviaram pedido de cadastro, sendo que 10 mil já haviam sido liberados. O cadastro é feito no site da Urbs. No entanto, motoristas estão tendo dificuldades para realizar a tarefa. Problemas no site e a demora na resposta causam um desconforto na categoria nesta terça-feira (28), a três dias do fim do prazo.

Após o prazo final de 31 de janeiro, haverá fiscalização dos motoristas cadastrados por agentes da Superintendência de Trânsito (Setran) . “Apenas dois mil motoristas conseguiram se regularizar e mais de 17 mil estão na espera. Existe a possibilidade do prazo ser postergado caso este número não seja analisado com rapidez. Ao menos isto foi dito pelo presidente da Urbs”, ressalta Paulo.   

Ano de fabricação

Já em São José dos Pinhais, a prefeitura regulamentou o serviço no dia 15 de janeiro, quando iniciou o cadastro. Entretanto, a cidade, que tem grande fluxo de corridas por aplicativos por causa do Aeroporto Afonso Pena, já mudou o decreto a partir das reclamações dos motoristas. O tempo útil dos veículos subiu de cinco para seis anos, ou seja, ao invés de 2015, poderão circular nos aplicativos carros fabricados em 2014.

A vida útil do carro é uma das principais reivindicações dos motoristas, que também cobram o mesmo prazo para todas as cidades da RMC. Em Curitiba, a exigência é de que os veículos sejam 2013, ou seja, com sete anos de uso. A proposta dos motoristas é subir para oito anos.