A luta de Curitiba contra a pichação ganhou um novo capítulo. A Igreja do Rosário, construída por escravos alforriados no século 18 no Largo da Ordem, no bairro São Francisco, está tendo as pichações removidas das paredes. A ação faz parte do programa Rosto da Cidade, lançado pelo prefeito Rafael Greca (PMN) em outubro, que pretende limpar a fachadas de imóveis no Centro Histórico ao custo de R$ 4,8 milhões.

A Igreja do Rosário é o primeiro dos 14 imóveis que serão limpos no programa organizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) e a Fundação Cultural de Curitiba (FCC). Quando o Rosto da Cidade foi anunciado, a igreja no Largo da Ordem recebeu a aplicação de uma camada de resina antipichação. Graças a este sistema, as paredes do templo puderam ser limpas terça e quarta-feira.

A remoção das pichações tem o apoio da Associação dos Condomínios Garantidos do Brasil (ACGB), instituição que promove voluntariamente ações de manutenção de calçadas, limpeza e despiche de fachadas, entre outras ações. O programa Rosto da Cidade será executado em seis etapas e, além da limpeza das fachadas, envolve melhorias acessibilidade, paisagismo e iluminação pública

No mês de abril, Greca chegou a homenagear um guarda municipal por ter atirado em um pichador. O rapaz vandalizava a capela do Cemitério Municipal São Francisco de Paula, quando o GM o abordou. Segundo a corporação, o pichador teria se recusado a descer de um muro, ofendido o agente e atirado uma lata de spray contra ele antes do disparo. Na sequencia, o rapaz teria feito menção de que sacaria uma arma, o que provocou a reação do guarda.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Homem é preso por esfregar o pênis em jovem em ônibus de Curitiba