Em sua viagem à Coréia e ao Japão, de amanhã até dia 28, o presidente Luiz
Inácio Lula da Silva será acompanhado pelos ministros das Relações Exteriores,
Celso Amorim; da Fazenda, Antonio Palocci; da Agricultura, Roberto Rodrigues; do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Roberto Rodrigues, e de Minas e
Energia, Dilma Rousseff. No Japão, segundo decreto do presidente publicado hoje
no Diário Oficial, também o ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, fará
parte da delegação.

Além dos ministros e da primeira-dama Marisa Letícia
Lula da Silva, integrarão a comitiva os governadores do Rio Grande do Sul,
Germano Rigotto (PMDB), e do Ceará, Lúcio Alcântara. Farão parte, ainda, da
delegação que irá aos dois países, o vice-líder governista Beto Albuquerque
(PTB-RS) e os deputados Hidekazu Takayama (PTB-PR) e João Caldas (PL-AL); o
presidente da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos Juan Quirós, e
os convidados especiais Kenji Iryo, Muth Iryo e Sérgio Ferreira.

Além
disso, na Coréia, a delegação será também integrada pelo embaixador brasileiro
naquele país, Pedro Paulo Pinto Assunção, e, no Japão, além do embaixador
brasileiro naquele país, Ivan Oliveira Cannabrava, pelo senador Eduardo Siqueira
Campos (PSDB-TO) e pelo deputado João Hermann Neto (PDT-SP).

Três
ministros, considerados importantes na estratégia do governo brasileiro de
atrair investimentos coreanos e japoneses para o Brasil, que originalmente
integrariam a delegação do presidente em sua viagem aos dois países, ficaram em
Brasília, incumbidos por ele de evitar a formalização da CPI mista do Congresso
para investigar denúncias de corrupção na Empresa Brasileira de Correios e
Telégrafos (ECT). São eles José Dirceu (Casa Civil), Paulo Bernardo
(Planejamento) e Eduardo Campos (Ciência e Tecnol ogia). Walfrido Mares Guia
(Turismo) somente se integrará à delegação no Japão porque, segundo sua
assessoria, ele está participando, em Paris, de eventos ligados ao Ano do Brasil
na França.