O ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou nesta terça-feira (4) que o processo em que está sendo julgado nesta terça-feira no plenário é político e está relacionado à disputa pelo cargo de presidente da Casa. Para endossar sua tese, o senador afirmou que, imediatamente após ter renunciado ao cargo, teve início no plenário a discussão sobre a eleição em que será escolhido seu sucessor.

"Ficou claro que o que estava em jogo era a cadeira de presidente do Senado. Ato contínuo à minha renúncia foi a discussão sobre a sucessão que tomou conta do plenário", disse o senador em rápida entrevista em que ele mesmo chamou os repórteres. Renan ainda condenou o parecer em que o senador Jefferson Péres (PDT-AM) pede sua cassação de seu mandato. Ele chamou o relatório de "equivocado", "para não chamar de indigno".

Ele disse ainda que renunciou logo no início da sessão para que fosse julgado "não o presidente do Senado, e sim o senador Renan Calheiros." Renan afirmou que se sente "absolutamente muito mais leve" após renunciar e declarou-se confiante em que "a verdade vai prevalecer" na sessão desta terça-feira. Por enquanto, a sessão está na fase de discussões. Ainda não foi apresentada formalmente nem a acusação nem a defesa. Neste processo, Renan é acusado de ter sido sócio oculto de duas emissoras de rádio e de um jornal em Alagoas, registrados em nome de "laranjas".