Rio – O ministro do Superior Tribunal de Justiça Luiz Fux, de 50 anos, foi espancado a golpes de marreta no rosto e joelhos, por quatro assaltantes que invadiram seu apartamento no 10.º andar do Edifício Azul, na Rua Dias da Rocha 79, em Copacabana, anteontem à noite. A agressão foi presenciada pelo casal de filhos do ministro. Ele foi internado no Hospital Copa d?Or e, segundo o boletim médico, não corre risco de vida.

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Francisco Fausto, lamentou a agressão sofrida pelo ministro Luiz Fux. “Qualquer cidadão hoje no Rio de Janeiro está sujeito a ser alvo de violência, seja na rua ou em sua própria residência. O que ocorre hoje no Rio é praticamente a existência de um Estado clandestino ao lado de um Estado legal e pode repetir-se em todo o País”, disse Fausto. A delegada Marta Cavalieri, titular da 13.ª DP ( Copacabana), disse que os integrantes da quadrilha já foram identificados. O bando é composto por jovens de classe média, moradores da zona sul. A quadrilha, que é responsável por outros assaltos em prédios, já estava sendo investigada. Com ajuda dos filhos do ministro foi feito o retrato falado dos bandidos.

O ministro, que é lutador de jiu-jítsu, teria reagido ao assalto e por isso teria sido agredido. Foram roubados jóias, dinheiro e outros objetos, ainda não listados pela família. A invasão do prédio ocorreu por volta das 20h, no momento que entrava uma visita para o filho do ministro. Eram seis homens armados com pistolas. O porteiro, José Ferreira, de 43 anos, foi rendido e trancado num quarto da garagem. À medida que os moradores chegavam eram rendidos e amarrados. Alguns ficaram na lixeira.

Foram assaltados os apartamentos 401, 402 e 1002, este de propriedade do ministro. Enquanto dois bandidos ficaram na portaria e na garagem com os reféns, os outros iam para os apartamentos.

A polícia suspeita que o alvo seria o apartamento da cobertura, que é da mulher de um usineiro. O imóvel está vazio porque está em obras.