Brasília – A direção do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) não quis se posicionar sobre o recurso na Justiça dos servidores grevistas, para evitar corte do ponto.

Segundo  a assessoria de imprensa do Incra, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou no último dia 27 o corte de salários e, por isso, a medida tem amparo legal.

O STJ considera que o ponto de grevistas pode ser cortado, porque há risco de lesão à economia pública.

Cerca de 4 mil servidores do Incra estão em greve desde o dia 21 de maio, reivindicando isonomia salarial com outras categorias do serviço público, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit) e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).