As mudanças cambiais divulgadas pelo Banco Central na noite da última sexta-feira parece que não surtiram efeito no dólar. A redução do limite de exposição cambial de 60% para 30% do patrimônio de referência, a partir desta segunda-feira (11) – foi muito mais amena do que se previa e não impediu a queda do dólar.

Às 15h20, o dólar comercial perdia 1,07%, cotado a R$ 1,939. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista caía 1,12%, a R$ 1,938.

No mercado de ações, após um início de pregão oscilando entre altas e baixas, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com ganho de mais de 1%. No horário citado, a Bolsa paulista subia 1,03%, aos 52.869 pontos, voltando a se aproximar da marca de 53 mil pontos, com a ajuda das bolsas norte-americanas e das ações de Petrobras.

O papel preferencial (PN) da estatal brasileira tinha ganho de 1 43%, enquanto as ações ordinárias (ON) avançavam 1,82%, seguindo o aumento dos preços do petróleo, que reage às indicações de que a Arábia Saudita não vai aumentar o volume da oferta para Europa e Ásia.