A cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, onde ocorreu o rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Vale, na sexta-feira (Brumadinho), já tem 58 mortos e 192 pessoas resgatadas com vida, das quais 23 estão hospitalizadas. Ainda não se sabe a quantidade exata de desaparecidos, mas estima-se que este número seja de 305 pessoas, segundo números divulgados na noite deste domingo (27). Algumas estão sendo resgatadas com vida, o que aumenta a esperança de que há muitos sobreviventes. Já os corpos encontrados estão chegando irreconhecíveis ao IML, o que está dificultando o reconhecimento.

Alarme

A população das comunidades de Córrego do Feijão e Tejuco foi acordada ainda de madrugada pelo toque de uma sirene de evacuação. Bombeiros iniciaram a retirada preventiva de pessoas, após a constatação de que uma nova barragem da Vale apresenta risco iminente de rompimento. O alarme de aviso sobre rompimento de barragem soou às 5h30.

Segundo o porta-voz do Corpo de Bombeiros, Pedro Aihara, informou que cerca de 24 mil pessoas estão em área de risco caso haja um novo rompimento de barragem na Mina do Feijão.

A evacuação foi feita em áreas de risco, próximas ao leito do rio Paraopeba e às áreas já atingidas por lama. “Como medida preventiva, a comunidade da região está sendo deslocada para os pontos de encontro determinados previamente pelo Plano de Emergência”, informou a Vale em nota.

Os bombeiros informaram que foram evacuadas 350 pessoas. As famílias foram levadas para a parte mais alta do núcleo urbano ou deslocadas para outras localidades na região de Brumadinho, como a Igreja Matriz e Morro do Querosene.

LEIA TAMBÉM: Bolsonaro após sobrevoar Brumadinho: “Difícil ficar diante desse cenário e não se emocionar”

A Vale informou ainda que acionou as sirenes de alerta ao “detectar aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem 6”. A barragem, que faz parte do complexo de Brumadinho, é um depósito de água, com volume de 3 a 4 milhões de metros cúbicos, segundo o Corpo de Bombeiros, e fica ao lado da barragem 1, de rejeitos de minério, que rompeu na sexta-feira (25).

A barragem, de nome B6, é composta por água e estava sendo drenada pela Vale para diminuir o risco de rompimento. Entre 20 horas de sábado (26) e 4 horas deste domingo, os resgates foram interrompidos para que a drenagem fosse intensificada. O volume de água a ser drenado nesse período e que portanto desceria pelo rio Paraopeba seria mais que o triplo do que vinha sendo drenado até então.

Os trabalhos de resgate estão suspensos. Todo o efetivo do Corpo de Bombeiros está empenhado na evacuação. Uma das áreas prioritárias é Parque da Cachoeira, onde há 25 casas em risco.

Dificuldades nos trabalhos de resgate

O rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho liberou 12,7 milhões de metros cúbicos de rejeitos, que entraram no rio Paraopeba. No sábado, os trabalhos foram prejudicados pela chuva e pelas condições do terreno. A principal ação dos bombeiros tem sido sobrevoar a área do desastre na tentativa de avistar sobreviventes e vítimas. O rejeito da barragem é muito líquido, o que impede que trabalhos sejam feitos sobre a lama, como escavações, por exemplo.

LEIA TAMBÉM: Agência detectou 54 barragens no Brasil de água com problemas de infraestrutura

O espaço aéreo na região de Brumadinho foi fechado a partir deste domingo. Apenas aeronaves de resgate irão poder sobrevoar o local do desastre. Enquanto houver o risco de novo rompimento, porém, as buscas por desaparecidos ficam temporariamente interrompidas.

As condições meteorológicas em Brumadinho e região, nas primeiras horas da manhã deste domingo, são de céu encoberto, com baixa visibilidade no entorno da Mina Córrego do Feijão, de acordo com a Defesa Civil.

No decorrer da tarde, o sol pode aparecer com mais intensidade, com possibilidade de chuvas, mas sem volume significativo. O volume estimado de chuva para o período é de 5 a 15 mm, em média.

 

Soterrados em ônibus

O porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara, informou há pouco que dez corpos de funcionários da Vale foram encontrados dentro de um ônibus, que estava soterrado pela lama causada pelo rompimento da barragem. Essas dez vítimas fatais estão incorporadas na contagem de 37 mortos, até o momento.

LEIA MAIS sobre a tragédia em Brumadinho:

Sexta (25)

Assista o vídeo com as primeiras imagens da tragédia e o trabalho dos Bombeiros

Vale divulga lista com desaparecidos; Familiares fazem buscas por conta própria

Sábado (26)

Bolsonaro após sobrevoar Brumadinho: “Difícil ficar diante desse cenário e não se emocionar”

Domingo (27)

Corpo de Bombeiros dá alerta de evacuação para 4 zonas de risco

Com risco de romper, barragem 6 da Vale tem até 4 mi/m3 de capacidade

Secretário de Guedes pede ajuda de startups para Brumadinho

Agência detectou 54 barragens no Brasil de água com problemas de infraestrutura

Israel diz que delegação de 130 homens e mulheres está a caminho de Brumadinho

Depois de sobrevoar Brumadinho, Bolsonaro se interna para retirar bolsa de colostomia