Brasília – Parlamentares da CPI que investiga o tráfico de órgãos humanos deverão ir à África do Sul realizar diligências para verificar, in loco, as conexões naquele país de quadrilha de tráfico de órgãos humanos que atua no Brasil. Requerimento para a realização das investigações, de autoria da deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), foi aprovado ontem pela CPI.

De acordo com a deputada, a CPI deverá investigar e averiguar os métodos utilizados, interrogar suspeitos e testemunhas, visitar clínicas, hospitais e edificações utilizadas, além de conhecer todo o esquema montado para a operação de tráfico de órgãos de brasileiros.

A CPI já recebeu, segundo seu presidente, Neucimar Fraga(PL-ES), denúncias de tráfico de órgãos e também da retirada de órgãos de brasileiros na África. Ele informou que no próximo dia 20, a comissão vai tomar o depoimento da missionária brasileira, Maria Elida dos Santos, que trabalha em Moçambique. De acordo com Fraga, a missionária denunciou uma rede de tráfico de órgãos e o assassinato de crianças brasileiras. A missionária está sendo ameaçada de morte.