Brasília – A recriação da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) é uma decisão do governo federal. Porém, para a volta dessas instituições com eficácia é necessário que o Fundo de Desenvolvimento Regional, previsto na reforma tributária, seja mantido como foi concebido, constituído por 2% da arrecadação do Imposto de Renda, o que representaria R$ 2,3 bilhões por ano. A afirmação foi feita pelo ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

Ciro disse que o pedido para a tramitação do projeto em regime de urgência foi retirado na Câmara por sua iniciativa, porque não concorda em alterar o Fundo de Desenvolvimento Regional para que os recursos sejam repartidos diretamente pelos governos estaduais. Ele acha que isso pulverizaria a divisão das verbas do Fundo entre os estados, o que iria tornar inócua a sua existência.