Cerca de 500 pessoas participaram hoje à noite do ato convocado pelas entidades negras da Bahia contra o candidato da Frente Trabalhista a presidente, Ciro Gomes (PPS-PDT-PTB). O estudante brasiliense Rafael dos Santos, pivô da insatisfação dos negros contra Ciro, participou da manifestação e confirmou que o candidato o ofendeu durante o debate ocorrido na semana passada na Universidade de Brasília (UnB), quando o tratou de ?negro bonito?. ?Ele foi jocoso e irônico?, interpretou o estudante, para quem Ciro é inimigo do movimento negro brasileiro.

Os manifestantes começaram o ato em frente à reitoria da Universidade Federal da Bahia (Ufba), no bairro de Campo Grande, e depois, em passeata, seguiram em direção ao Pelourinho, gritando palavras de ordem contra Ciro e a favor do candidato petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Engrossaram a manifestação centenas de estudantes que estavam no centro de Salvador, para reivindicar gratuidade na inscrição do vestibular das universidades públicas.

Ao chegarem a Rua Chile, porta de acesso ao Pelourinho, um cordão da polícia militar não permitiu que os carros de som seguissem em frente.

Houve muitos protestos e o deputado federal Luís Alberto (PT-BA) lembrou que, recentemente, um carro de som do candidato do PFL à Câmara Federal Antonio Carlos Magalhães Neto fez campanha pelas ruas do centro histórico. Os manifestantes incentivavam os policiais a realizarem uma nova greve contra o governo baiano, comandado pelo PFL.

Mas, logo depois, se conformaram e encerraram o ato, se dispersando na ruas do Pelourinho, mesmo porque a chuva contribuiu para esfriar os ânimos dos militantes.