A Bienal do Livro de Curitiba, que vai até o dia 4 de setembro, oferece uma programação variada neste final de semana: são 118 eventos entre mesas-redondas, peças de teatro e filmes. As mesas- redondas são o destaque, com a participação de autores reconhecidos nacionalmente que trazem para a discussão temas relevantes da literatura.

No sábado (29), no espaço Café Literário, na Boca Maldita, os escritores Carlos Heitor Cony, Moacyr Scliar e Nelson Vieira debatem os rumos do romance no século 21. Na mesa-rendonda com o título O Romance Morreu, Viva o Romance, o tema será discutido, abordando as possibilidades de reinvenção e experimentação do gênero.

No domingo (30), acontece a mesa Verso, Reverso, Transverso: Ainda se ouve o eco poético, que traz à Bienal os poetas cariocas Antônio Cícero, Ivan Junqueira e Antônio Carlos Secchin. Os autores discutem o universo da poesia a partir das diferentes gerações.

No espaço Café Literário, na Boca Maldita, os autores participam de bate-papos com o público. No sábado, às 10h, Carlos Heitor Cony conversa com os leitores e às 11h é a vez do teólogo Leonardo Boff. O escritor Moacyr Scliar participa do papo às 15h. Já no domingo, Nelson Vieira dialoga com os leitores às 11 e Antônio Cícero participa do bate-papo às 15h.

No espaço Cinebienal, curtas e longas-metragens se somam ao cardápio literário, com a Mostra Cinema Francês. No sábado, dois filmes ganham destaque: às 10h, o “O Pesadelo de Darwin” e às 15h, “Por um Comércio Equitativo”.
No domingo serão exibidos, às 10h “O Pesadelo de Darwin” e às 14h, o documentário “O Fazedor de Montanhas”.

O teatro ganhou lugar na programação no Espaço Largo da Ordem, onde, no sábado, são exibidos os espetáculos “Mindinha e Serelepe” (10h), “Gralha Azul” (15h30) e “Lenda Curupira” (16h45).