Atacante diz que não quer ser chamado
de salvador da pátria, mas que está
com muita vontade de ajudar o time
daqui pra frente.

Contra a falta de gols no Atlético chame o superartilheiro Washington. Após sofrer uma lesão na final do campeonato paranaense, o atacante está de volta e com vontade de sobra para ajudar o time a balançar as redes. Ele não quer ser chamado de salvador da pátria, mas quando ele está em campo é certeza de festa, o que não aconteceu diante do Guarani, apesar das diversas oportunidades criadas.

Nas 11 partidas disputadas com a camisa rubro-negra, ele marcou 10 gols. Uma credencial que o garante na partida de sábado, na Arena, contra o Santos, na sexta rodada do campeonato brasileiro.

“Estou ansioso, tenho que ir com calma, primeiro me preocupar para ver se a lesão não vai voltar. Mas, acho que estou indo bem”, revela, após participar do primeiro tempo de um jogo-treino contra o Malutrom, ontem, no CT do Caju. Modesto, ele não quis admitir que a equipe atleticana se torna dependente de sua presença em campo. “O time não depende de mim, não. Claro que sente a minha falta, como sente a do Ilan, do Dagoberto e do Rogério Correia. Mas, não posso me colocar na condição de resolver os problemas”, aponta.

No entanto, jogador de referência na área, só ele. “A equipe, com certeza, está necessitando da minha presença dentro da área, porque não tem outro de ofício. Mas, acho que o time estava indo bem, apesar dos resultados um pouco negativos”, explica. Na movimentação de ontem, no campo 5, ele não marcou nos 45 minutos que jogou. No entanto, aos poucos, vai se acostumando novamente com a bola e voltou a mostrar um bom entrosamento com Ilan.

Mesmo assim, a primeira semana de volta aos trabalhos com bola não será suficiente para deixá-lo na melhor forma. “É uma semana boa para voltar a jogar, se preparar bem para a seqüência de jogos. Mas, eu acho que, no decorrer dos jogos e da semana, o time vai melhorar bastante”, destaca. Contra o Santos, ele projeta uma partida das mais difíceis. “É uma das equipes favoritas ao título, tem um novo treinador e a motivação será grande. Com certeza, será uma parada dura, mas o Atlético está crescendo e estamos preparados para ganhar”, finaliza.

Levir Culpi não antecipa o time

A turbulência diminuiu, é verdade, mas o técnico Levir Culpi ainda prevê dificuldades na equipe do Atlético para os próximos jogos. Contra o Santos, sábado, na Arena, ele já confirmou a volta do atacante Ilan (após cumprir suspensão automática), mas prefere esperar um pouco mais para garantir a presença do goleiro Diego e do atacante Washington entre os titulares. “Eu sinto o Atlético ainda no período de turbulência e acredito que nós ainda teremos alguns probleminhas pela frente”, aponta o treinador. De acordo com ele, muitos jogadores ficaram de fora da partida contra o Guarani e nem todos irão voltar contra o Santos. “O Washington, o Ilan, o Dagoberto, o Alan, o Diego, o Rogério não jogaram. Você tem, praticamente, 60, 70% da equipe fora. Então, eu ainda considero que nós teremos um período de turbulência”, reitera.

Apesar disso, ele projeta evolução na equipe. “Nós estamos escapando com alguns resultados regulares, mas quando todos estiverem em condição de jogo, estaremos com uma formação capaz de vencer qualquer adversário”, destaca. O treinador ressalta a superação dos jogadores, mesmo com os vários desfalques.

Time

Além de Ilan, Diego e Washington (estes dois últimos praticamente confirmados), Levir Culpi espera pela recuperação do volante Alan Bahia e do meia William. O primeiro sofreu uma lesão no treino de sexta-feira numa cancha coberta e, contrariando a expectativa, se recuperou bem e pode até jogar no sábado. O mesmo com o segundo, que se machucou na partida contra o Guarani. Já o atacante Dagoberto, o meia Adriano e o zagueiro Rogério Correia ficam no estaleiro por mais algum tempo.