Flávio foi absolvido pelo
elenco por falhas em Fortaleza.

Serenidade passou a ser palavra-chave no Paraná Clube. O técnico Saulo de Freitas não pretende alterar a forma de conduzir a equipe e aposta na eficiência do ataque para garantir, nas duas rodadas finais, uma vaga na Copa Sul-Americana. Os erros individuais ocorridos na última partida já foram discutidos internamente e o que o treinador deseja é ver o seu time atuando com a mesma “alegria” que norteou a boa campanha do Tricolor nesta segunda metade de returno.

“Sofremos duas derrotas e alguns pontos precisam ser acertados. Mas, com bom senso. Não é hora de sacrificar ninguém”, ponderou. Com essa postura, Saulo deixa claro que não vai mexer no time. Flávio foi o mais questionado após a incrível falha no primeiro gol do Fortaleza, no primeiro minuto do jogo. “Ele já teve papel decisivo em muitas de nossas vitórias. Ele reconheceu o erro e isso já é página virada”, avisou Saulo. O goleiro já havia sido cobrado pela comissão técnica no primeiro gol do Cruzeiro, quando rebateu a bola para o meio da área.

A fragilidade do sistema defensivo preocupa. Tanto que Saulo comandou ontem um treino específico para a correção do posicionamento da defesa e do meio-de-campo. “Senti, em muitos momentos da última partida, o time muito disperso em campo”, justificou o treinador. No início do treinamento, Saulo acertou a movimentação de laterais, zagueiros e volantes. Num segundo estágio, Marquinhos e Fernandinho também foram chamados para compor a atividade. “Os meias também têm papel importante na contenção dos laterais adversários”, ressaltou o treinador.

Saulo preferiu não usar o fato do Tricolor possuir a segunda defesa mais vazada do campeonato como argumento de cobrança. “Estamos sofrendo muitos gols, mas não é de agora. Isso vem acompanhando o time em todo a competição”, destacou. “É um problema que não se corrige em somente dois jogos, pois demanda tempo. O que eu quero é reduzir os erros nas bolas paradas e fortalecer a nossa principal virtude: o ataque”.

Com este objetivo, paralelamente ao trabalho da defesa, o auxiliar Júlio César de Camargo comandava um treino para o quarteto de frente. Mesmo com duas derrotas em seqüência, o Paraná continua com um bom aproveitamento ofensivo, segurando a terceira colocação entre os ataques mais efetivos. A meta do Paraná, além de chegar à Sul-Americana, é fazer de Renaldo o artilheiro do Brasileirão. “Uma coisa está interligada à outra. Com os gols acontecendo, vamos fatalmente conquistar os resultados que nos faltam”, comentou Renaldo.

O artilheiro elogiou o apoio que vem recebendo dos companheiros. “O Dimba, tenho certeza, não conta com essa ajuda incondicional e isso fará a diferença nestas duas últimas rodadas”, comentou Renaldo. Nas contas do atacante, quem fizer 32 gols garante a artilharia do campeonato. “Tenho que fazer três. Não é fácil, mas dá prá buscar”, frisou. “Poucos acreditavam que eu ia chegar, pois o Dimba e o Luís Fabiano tinham dez gols de vantagem. Já tô coladinho neles”, lembrou.