Feliz com a melhor campanha brasileira em Pan Americanos, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Artur Nuzman, reconheceu a significativa contribuição do Paraná para esse resultado. Os paranaenses conquistaram 24 medalhas, sendo 14 de ouro; seis de prata e quatro de bronze. ?O Paraná contribui formando bons atletas como Giba, Emanuel, Vanderlei Cordeiro, mas também sendo a casa de muitas modalidades?, destacou Nuzman, se referindo ao Centro de Treinamento de Ginástica, em Curitiba, ao trabalho desenvolvido com o taekwondo em Londrina pelo técnico Fernando Madureira e também ao Centro de Treinamento de Canoagem de Slalom, em Foz do Iguaçu, que está preparando a equipe brasileira para brigar por vaga na Olimpíada de Pequim.

Orgulhoso com o desempenho paranaense, o presidente da Paraná Esporte, Ricardo Gomyde, destacou que a força do esporte paranaense se dá com a união do governo, entidades esportivas e de projetos da iniciativa privada. ?Muitos jogadores começaram no esporte em jogos oficiais do Estado, outros nas parcerias que o governo mantém com entidades esportivas, como a ginástica, e outros por trabalho da iniciativa privada?, disse.

O capitão da equipe masculina de vôlei, ouro no Pan, o jogador Giba, é um exemplo disso. ?Joguei os Jogos da Juventude e isso foi fundamental no meu início de carreira. Ajudou muito na minha formação?, destacou. A opinião é compartilhada pelo medalha de ouro no vôlei de praia, Emanuel, que disputou Jogos da Juventude e Abertos. ?Adquiri experiência. Posso dizer que os primeiros degraus na carreira eu subi nessas competições?, disse.

A parceria da Paraná Esporte com a Ginástica Artística rendeu 11 medalhas para o Brasil. Com apenas 15 anos, Khiuane Dias, de Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba), integrou a equipe feminina que faturou a medalha de prata. ?Fui no Centro de Capacitação Esportiva porque eu queria praticar futebol, mas como não havia mais vaga, optei pela ginástica?, conta a ginasta. ?A parceria da ginástica com o governo do Estado é fundamental para o sucesso desse trabalho?, afirma a presidente da Confederação Brasileira de Ginástica, Vicélia Florenzano.

O projeto de ginástica rítmica da Fundação Atílio Fontada, em parceria com o município de Toledo e a Sadia, revelou a maior medalhista paranaense no Pan, com três ouros, Nicole Mullher. O mesmo projeto revelou as outras duas integrantes da equipe, mas que disputaram individualmente, Angélica Cristine e Ana Paula Scheffer, que ganhou uma medalha de bronze. Elas também participaram dos Jogos da Juventude e Abertos do Paraná.