O Paraná Clube tem utilizado cinco jovens jogadores neste início da temporada e pretende usá-los na sequência de 2019. Com recursos financeiros curtos, a comissão técnica decidiu apostar nas revelações para retorno técnico e, quem sabe, no caixa do clube. Desde o ano passado, na reta final da Série A, o técnico Dado Cavalcanti resolveu colocar atletas da casa e que tivessem contratos para essa temporada. De 2018 para cá, quem tem aproveitado as chances são o volante Luiz Otávio, o meia Alesson e os atacantes Keslley, Rodrigo Carioca e Andrey.

+ Leia mais: Fernando Neto aponta Tricolor como melhor time do primeiro turno

Das oito partidas realizadas até aqui, Luiz Otávio foi um dos quem mais jogaram: sete vezes. Após empréstimos para Santa Cruz e CRB, o meio-campista de 21 anos começou jogando todas as partidas que esteve em campo e saiu no decorrer apenas uma vez. Ele ficou de fora contra o Toledo para ser poupado.

Emprestado ao rival Athletico há dois anos, o jogador fez 12 partidas e o furacão não exerceu o direito de compra por R$ 250 mil por 50% dos direitos econômicos. Na sequência, retornou ao Tricolor, teve mais dois empréstimos e agora tem a oportunidade de se firmar. Apesar de não ter exibições brilhantes, faz o ‘arroz com feijão’ e não compromete. Como primeiro volante, ele tem as concorrências de Alejandro Márquez, que só jogou diante do Porco em seu lugar e Jeferson Lima, que nem estreou ainda.
Alesson ainda supera o companheiro e jogou em todos os confrontos do ano. Por outro lado, ele foi titular em cinco jogos e entrou durante em outras três oportunidades. O meia de 20 anos, tem feito algumas boas atuações e parece pronto para ficar no time profissional, marcou um gol, diante do Itabaiana, pela Copa do Brasil.

+ Veja ainda: Turma do interior está jogando de igual pra igual com Trio de Ferro

Em 2017, o atleta acabou emprestado para a Ponte Preta e, na mesma temporada, se transferiu para o Cruzeiro. O time mineiro tentou mantê-lo até o final deste ano, oferecendo o empréstimo de Dudu, que estava no Náutico, o que a diretoria do Paraná não aceitou. A opção de compra era de R$ 700 mil por 70% dos direitos econômicos, mas a Raposa não quis exercer.

No ataque, a disputa é mais acirrada. Andrey jogou em seis partidas e só não atuou em todas por estar suspenso pela expulsão contra o Internacional, na última rodada do Brasileirão. Ele marcou duas vezes: diante de Foz do Iguaçu e um golaço contra o Londrina. Em compensação, o atacante de 18 anos acabou substituído em todos os confrontos, mas vai cavando sua vaga para a disputa da Série B.

+ Também na Tribuna: Meia é o grande destaque to Tricolor até aqui

Keslley, que tem 19 anos, fez seis partidas e metade delas como titular. Em 2018, marcou gol contra o Palmeiras e com boa exibição, mas tem sentido uma maior pressão na temporada e demonstra nervosismo e ansiedade em muitas jogadas, além de ter dificuldades de finalização. A tendência é de que continue sendo opção entre os suplentes.

Por fim, Rodrigo Carioca, também com 19 anos, estava começando a ser firmar no time titular, mas se lesionou no clássico frente ao Athletico, que era o segundo confronto consecutivo entre os titulares. Com boa movimentação e infiltrações, ele se mostra com perspectiva de ser bem aproveitado no ano. O atacante, que teve um edema muscular, está na fase de transição e fica à disposição na semana que vem.

+ Confira: Paraná está cheio de opções pra dupla de zaga

No elenco, o Tricolor ainda tem o lateral-esquerdo Juninho, que veio do Itabaiana, atuou em jogos do Brasileiro e se lesionou no Paranaense, perdendo a vaga para Guilherme Santos. O meio-campista Jean Lucas fez uma partida no Estadual, na segunda rodada, enquanto o meia Gabriel Pires e o centroavante Rafael Furtado nem entraram em campo.

+ APP da Tribuna: As notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!