Agora é definitivo. Pelo menos nas palavras de Adriano Galliani. Nesta segunda-feira, o vice-presidente de futebol do Milan declarou surpreendentemente que o clube italiano desistiu de uma vez por todas da tentativa de contratar o meia brasileiro Kaká junto ao Real Madrid. O dirigente revelou que o retorno do jogador fracassou por causa de questões fiscais, que atrapalharam a negociação.

“A negociação está finalizada. Renunciamos à contratação de Kaká. Fizemos todos os esforços imagináveis, Kaká fez todos os esforços possíveis, mas problemas fiscais levaram o Real Madrid a parar a negociação. Chega uma hora que se pergunta se é normal um país pagar 24% (de impostos) e outro 47-48%”, disse Galliani ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport.

A reviravolta nas negociações entre os dois clubes aconteceu em poucas horas. Após dias de reuniões, Real Madrid e Milan chegaram a um acordo para que Kaká retornasse, por empréstimo, ao clube italiano por 2 anos e meio. O principal obstáculo era o alto salário do meia brasileiro no time da capital espanhola. Kaká já havia aceitado reduzir os seus ganhos de 10 para 5 milhões de euros e o panorama era favorável. Isso fez com que até o presidente do Milan, Silvio Berlusconi, se mostrasse otimista com a contratação.

Com os problemas fiscais, o meia brasileiro só pode deixar o Real Madrid e acertar o retorno à Itália caso o Milan compre novamente os direitos econômicos de Kaká, que defendeu o time italiano entre 2003 e 2009, se tornando um dos maiores ídolos recentes do clube e o melhor jogador do mundo em 2007.

Além de descartar a contratação de Kaká, Adriano Galliani também afirmou que o Milan não deve contratar nenhum outro jogador na atual janela de transferências internacionais, que se encerra no próximo dia 31. “Acho que vamos continuar como estamos. Em 13 rodadas, nossa equipe ganhou a maioria dos pontos que disputou”.