A busca por novos jogadores é contínua no Atlético. Mas a chegada de alguns reforços caseiros pode ser a solução para o time que ainda não se encontrou no Campeonato Brasileiro, e encara pressão desde os primeiros meses da temporada.

Este ano já teve uma lista vasta de contratados e outra de dispensados, mas o clube ainda precisa de mais nomes que tragam o bom futebol que colocou o Furacão na 5.ª colocação do Brasileirão de 2010.

Assim, na lista de eventuais reforços, dois velhos conhecidos: os meio-campistas Marcinho, que já teve seu retorno praticamente confirmado, voltando aos treinos na segunda quinzena de julho, e o paraguaio Julio dos Santos, que está no Cerro Porteño, com quem chegou à semifinal da Copa Libertadores.

Julio tem contrato com o Atlético até agosto e já pediu para retornar ao CT do Caju. Mesmo com o Cerro tendo realizado boa campanha na Libertadores, o meio-campo tem enfrentado problemas de atraso salarial.

Mas o retorno dele ainda é incerto, por conta do número de estrangeiros que o clube se propõe a manter no elenco. Segundo o gerente de futebol Paulo Rink, não adianta ter muitos jogadores de outros países se apenas três podem entrar em campo a cada partida.

Assim, os altos salários não compensariam a utilização dos mesmos. Com Guerrón e Nieto com contrato até julho de 2012, e com o atacante uruguaio Santiago García praticamente acertado, Julio dos Santos não teria espaço.

Por enquanto, a diretoria mantém o meio-campo nos planos e deve renovar seu contrato até o final do ano, pelo menos. O vínculo do paraguaio com o Atlético encerra em agosto e a chance de ele ganhar espaço no elenco rubro-negro está na possibilidade de Guerrón deixar o clube na janela internacional de transferências, que se abre no final de julho. Recentemente, o equatoriano recusou uma proposta de um clube russo e o Atlético não levou adiante as negociações.