Rio – O Flamengo será comandado por dirigentes amadores em 2005. O Fla-futebol, modelo criado pelo presidente Marcio Braga com o intuito de profissionalizar o futebol do clube, acabou antes mesmo de completar um ano de experiência. Insatisfeito com a falta de autonomia financeira e a freqüente interferência da ala amadora, o ex-jogador Júnior decidiu, ontem, entregar o cargo de diretor-técnico.

O diretor-executivo do Fla-Futebol, José Marinha Sobrinho, também pediu demissão, medida adotada anteriormente por José Henrique Areias, da área de marketing, ainda no meio da temporada. As críticas de Júnior não se limitaram aos dirigentes amadores, que, segundo ele, sempre foram contra o modelo de gestão adotado pelo clube no início da temporada.

Marcio Braga também foi alvo de contestações em entrevista coletiva realizada ontem, num restaurante na zona oeste do Rio. "Saio do clube magoado. Foi um ano de muito discurso do Marcio Braga e de pouca atitude. É um retrocesso não seguir a linha do profissionalismo. Fico preocupado com o futuro do Flamengo", declarou Júnior, que vai analisar uma proposta para treinar um clube da Itália – não quis revelar o nome.

Em pauta também o caso Dimba, contratado por R$ 1,5 milhão à vista em meio aos salários atrasados do elenco. A negociação foi intermediada pelo vice-presidente do clube, Artur Rocha, que teria desbancado uma suposta proposta do São Caetano. Júnior questionou a valorização do passe do jogador.

"Eu nunca vi esse contrato entre São Caetano e Dimba. Acho esquisito", disse Júnior, que criticou também a postura do atacante ao chegar à Gávea. "Ele tinha que se apresentar de maneira humilde, mas não foi o que ocorreu. Chegou como o salvador, a estrela. Comprou uma idéia errada."

Identificado com o clube, onde brilhou como jogador na década de 80, Júnior não está arrependido do desafio. nem de ter retirado uma ação num valor de R$ 250 mil, em última instância, contra o Flamengo para assumir o cargo a convite de Marcio Braga. "Sempre estou à disposição do clube. A minha carteirinha é de sócio-proprietário", avisou.

Reestruturação

Gérson Biscotto, derrotado por Marcio Braga nas últimas eleições presidenciais, é o novo homem forte do futebol rubro-negro. Ela vai entrar no lugar do vice-presidente de Futebol, Paulo Dantas. O supervisor das categorias de base, Anderson Barros, foi nomeado o novo gerente de futebol.