O Paraná Clube poderá não ter um bate-chapa no pleito do próximo dia 11 de novembro. A atual diretoria definiu ontem, uma composição com a chapa Revolução Tricolor, liderada por Aramis Tissot.

Nesse acordo, Tissot assumirá a vice-presidência, com o comando do departamento de futebol. Aquilino Romani, hoje vice-presidente do clube, será o candidato à presidência, com Waldomiro Gayer Neto devendo ficar como 2.º vice.

Com a confirmação de Aquilino Romani no comando, José Carlos de Miranda também oferece seu apoio à chapa, retirando sua candidatura. “Sempre disse que o ideal seria uma união de forças e para que isso ocorresse, o Aquilino Romani seria o nome de consenso”, disse Miranda, que apenas hoje iria se reunir com seu grupo para apresentar o novo fato e oficializar a desistência. Tissot encara essa composição como o marco para novos tempos dentro do Paraná.

“O momento do clube exige união de forças. É hora de unirmos todas as lideranças e é isso que buscamos com essa composição”, explicou Aramis. “Desde o lançamento da nossa chapa, deixei claro que não tinha a vaidade de ser o presidente. Também não podemos esquecer o que o atual grupo fez de bom pelo social. Então, esse acordo é altamente positivo para o Paraná Clube como um todo”, explicou Tissot, sem revelar maiores planos sobre a gestão do futebol para 2010.

O presidente Aurival Correia que alinhavou essa composição confirmou que só faltam alguns detalhes para que tudo seja colocado de forma oficial. “Nesta quinta tudo deverá estar definido e exposto aos sócios e torcedores em nosso site”, disse Correia.

Não confirmou se iria assumir alguma área nesta nova diretoria, pois revelou precisar, no momento, de um tempo de descanso. Gayer Neto se posiciona hoje sobre o convite para ser o 2.º vice. Mas, as outras duas cadeiras estão definidas: Aquilino Romani, presidente, e Aramis Tissot, 1.º vice.