Dois empates nas últimas apresentações contra equipes de menor expressão e pronto. As críticas começaram, questionando a qualidade técnica do elenco atleticano e colocando em xeque como será o desempenho do time em competições mais acirradas, como a Copa do Brasil que está prestes a iniciar.

Essas cobranças têm algum fundamento, já que o clube passou recentemente pela traumática experiência de brigar até a última rodada para não ser rebaixado à Série B do Brasileirão. E o torcedor não quer que isso se repita tão cedo.

O clube acreditou na manutenção da base de 2008 e contratou muito pouco para esse início de temporada, respaldada pelos resultados apresentados na reta final do Brasileiro. Apenas três atletas chegaram ao clube como reforços (Marcinho, Lima e Jorge Preá).

A fase classificatória chegou à metade, o Atlético é líder e possui bons números como o ataque mais positivo e o artilheiro da competição (Rafael Moura). Porém nem mesmo esses fatores livraram a direção do clube e o comando do time de críticas.

No último domingo, na Arena, vaias ecoaram ao término do jogo e, no início desta semana, o grupo de oposição à presidência se manifestou através de um comunicado pela internet.

Com o título “Estamos de olho”, o documento cobrou as promessas de campanha da atual presidência de mais investimentos em futebol. Sobre o assunto, o presidente Marcos Malucelli se mostrou sereno e disse que o prometido está sendo cumprido.

“Os investimentos no futebol têm sido feitos. As despesas do futebol diminuíram 25%. Manter a equipe, a estrutura do time, a comissão técnica; tudo isso é investimento. Para o Brasileiro é outra história. Para o início da Copa do Brasil é suficiente”, comentou o presidente.

Os jogadores acreditam que ainda é muito cedo para a existência de críticas já que o time ainda está em formação. “Está muito cedo. A nossa equipe está bem, o torcedor tem que apoiar para que possamos conseguir os resultados”, comentou Lima. Para Marcinho o importante no momento são os resultados conquistados.

“Nossa equipe é líder, independente de equipes estarem com jogos a menos. O começo de trabalho está sendo muito bom. Não acho que haja motivos para se criticar. Hoje o Atlético está invicto e é líder”, disse.

O capitão Antônio Carlos, que retorna ao time após cumprir suspensão, acredita que as críticas são naturais pelos últimos resultados. “A cobrança é natural. O time pode ser líder, mas sempre tem algo a melhorar”, afirmou.

O zagueiro complementou que a má campanha no Brasileiro de 2008 ainda pesa a favor das críticas. “Ano passado não tivemos um bom ano. Mas (agora) o time está se ajustando devagar, vai ficando mais forte com o passar dos jogos. Espero que (2009) seja diferente do ano passado; começando um pouco pior, mas depois com melhora grande”, finalizou Antônio Carlos.

Já o treinador Geninho não quis polemizar sobre as eventuais críticas. “Cada um fala o que quer, cada um tem uma opinião. Tem cara que critica já na primeira rodada. Não vou polemizar”, afirmou o treinador.