Agora é oficial. Pachequinho deixou de ser interino e será o comandante do Coritiba para a continuidade da temporada de 2017. Depois de ajeitar a casa e de conquistar o título do Campeonato Paranaense, no último domingo (7), no Couto Pereira, diante do Atlético, o treinador se reuniu na manhã desta quinta-feira (11) com o presidente Rogério Portugal Bacellar e definiu sua continuidade no comando técnico do Verdão.

“Vai dar sequência (ao trabalho), com muitas vitórias e conquistas. É isso que precisamos e o que nós queremos”, disse Bacellar, em entrevista coletiva na tarde desta quinta, quando confirmou a manutenção do técnico oficialmente, apesar de garantir que tudo estava encaminhado antes mesmo da final do Paranaense.

“A conversa com o Pachequinho foi feita faz tempo, tanto que peguei e até critiquei alguns cronistas da imprensa, porque estava até atrapalhando, perturbando o ambiente. Estamos pessoalmente acertados, faltava apenas definir o aspecto mais importante, a parte financeira. Hoje chegamos a um denominador. Não haveria condições de o Pacheco e o Coxa voltarem atrás após a conversa inicial. Chegamos ao denominador comum, foi uma aposta que o Coxa fez, deu certo e vai dar certo. Tenho certeza que será uma carreira muito brilhante”, disse o presidente alviverde.

As conversas começaram ainda durante o Campeonato Paranaense. Foi um pedido do próprio técnico Pachequinho deixar para definir a situação da sua efetivação após o término do Estadual. Nesta quinta-feira, foram definidas as situações burocráticas e financeiras, com o agora treinador deixando de ser membro da comissão técnica permanente.

“As conversas foram sempre tranquilas. Ficou faltando algumas questões, não nos preocupamos no Paranaense. Na conversa que tivemos ficou claro que queríamos focar no Paranaense, que era o campeonato mais importante. Quando se encerra com o título, sentamos rápido, bem objetivos e resolvemos todos os detalhes. A questão do Pachequinho interino antes só mudou a questão do planejamento e aguardar o término do Estadual por um pedido meu. Não queria que essas questões atrapalhassem o dia a dia”, cravou Pachequinho.

O treinador agradeceu a confiança depositada pela diretoria coxa-branca, inclusive pelo período que passou realizando estágios na Europa e também a presença de Dirceu Krueger. O Flecha Loira acompanhou toda a trajetória do do ídolo alviverde desde que chegou ao clube, ainda nas categorias de base como atleta.

“Estou mais feliz ainda pela confiança que foi depositada em mim. Não só agora. Estou mais orgulhoso pela presença do Krueger, que é um amigo, um cara que sempre esteve do meu lado, que conheço há muito tempo, me dá diversos conselhos. É um grande coxa-branca, fenomenal atleta quando jogava e me deu alguns conselhos importantíssimos em alguns jogos. Estou motivado para vôos maiores, não só na carreira pessoal, mas com o clube. Acabou o Paranaense, agora é o Brasileiro e estamos muito focados já nesse primeiro jogo de estreia. Está se iniciando uma nova fase na vida profissional e esperamos que as coisas possam acontecer da melhor forma possível”, emendou.

Ao lado do presidente Rogério Portugal Bacellar, Dirceu Krueger acredita que o Coritiba acertou na escolha de efetivar Pachequinho. “Estou muito feliz pela escolha. O presidente está de parabéns por escolher o Pacheco. Desde que aqui chegou eu já o via não como o jogador extraordinário, mas como pessoa, que antevia as jogadas. Esse tipo de jogador que tem aquela noção de percepção no jogo, dentro de campo e fora de campo. Estou feliz pela presença do Pacheco, pela escolha, porque realmente foi um tiro certíssimo”, arrematou o Flecha Loira.