Pode até parecer loucura, mas o Coritiba tem planos ousados para aumentar muito o número de sócios-torcedores. E para fazer isso, os próprios dirigentes têm noção de que é preciso agir fora de campo, reforçando o elenco para que dentro das quatro linhas o Coxa responda positivamente e, além de reter os que se associam nos bons momentos e depois saem, também atrair aquele que nunca quis ser sócio, mas que pode ajudar e muito.

O projeto é que o dinheiro que os sócios trazem para o clube se transforme na principal receita alviverde nos próximos anos. Para isso, a diretoria sabe que será preciso primeiro investir no futebol. Mesmo assim, pede à torcida um voto de confiança.

“Os torcedores precisam voltar a ser sócios. Peço que eles acreditem no Coritiba. Nós estamos fazendo um trabalho de recuperação do clube fora de campo e vamos melhorar mais para o Nacional. Vamos disputar de igual para igual com os outros times”, garantiu o presidente Rogério Portugal Bacellar.

Mas isto depende de dinheiro. Nos últimos dias, o número de sócios subiu de 13 mil para quase 17 mil. Só que o plano coxa-branca é mais ousado. “O Coritiba não pode ficar com menos de 45 mil sócios. Temos que aumentar o conforto do estádio, montar grandes times e assim chegar nesse número”, afirmou o vice-presidente Alceni Guerra.

Os cartolas estão confiantes. Acreditam que um bom início de Brasileiro vai empolgar a torcida. “É uma arrancada para grandes conquistas e tenho certeza que as nossas primeiras rodadas no Brasileirão vão servir para levantar a torcida”, resumiu Alceni.