Um jogo festivo. Assim pode se resumir a vitória do Athletico por 2×1 sobre o General Díaz, na noite de quarta-feira (13), na Arena da Baixada. Era o reencontro do torcedor com o time que conquistou a Copa Sul-Americana em dezembro do ano passado. Pela primeira vez os atleticanos estavam vendo o Furacão versão 2019, mas ainda sem a responsabilidade dos resultados. Então, tudo era motivo para comemorar. Ainda mais diante de um adversário frágil e que em nenhum momento chegou perto de estragar a noite rubro-negra.

Nem mesmo o baixo público que foi ao estádio estragou este reencontro. Se em boa parte do jogo, o duelo no campo ficou morno, como se estivesse em segundo plano, nas arquibancadas, a torcida organizada Os Fanáticos não parou de gritar, agitar os bandeirões e de tocar a bateria os 90 minutos. Mesmo estando fora do setor que queriam estar, que seria a Buenos Aires inferior, e ocupando a Coronel Dulcídio superior, o acordo entre diretoria e organizada foi cumprido.

+ Leia também: Confira como foi o triunfo do Furacão sobre o General Díaz

Antes mesmo de a bola rolar o clima na Arena era de lua de mel. A emoção do título internacional ainda é nítida. Assim que os goleiros Santos e Caio subiram ao gramado para o aquecimento – foram os primeiros a aparecerem -, o auto-falante os saudava, os chamando de “Os melhores goleiros do Brasil”, seguido de aplausos e gritos dos torcedores.

Momentos antes de o o jogo começar, na famosa foto posada dos times, o que ecoou na Baixada foi o grito de ‘É campeão’. Aqueles que foram para o amistoso estavam lá para isso, para simplesmente festejar.

Se a primeira impressão é a que fica, Marco Rúben começou bem sua trajetória no Athletico. Foto: Jonathan Campos
Se a primeira impressão é a que fica, Marco Rúben começou bem sua trajetória no Athletico. Foto: Jonathan Campos

Uma festa que teve um tempero a mais. O primeiro gol do duelo foi marcado pelo estreante Marco Ruben, aproveitando cobrança de escanteio e mandando de cabeça, como um típico centroavante, levantando a galera nas arquibancadas. Se a primeira impressão é a que fica, o argentino, contratado para ser o goleador de 2019, mostrou que pode dar ainda mais alegrias para os atleticanos.

+ Confira os jogos e a classificação do Campeonato Paranaense

Mas os velhos conhecidos também tiveram seus momentos de glória. No segundo tempo, quando o técnico Tiago Nunes trocou todo o time, aqueles que iam saindo eram fortemente aplaudidos. E quando Nikão marcou o segundo gol do jogo, em cobrança de falta, foi bastante ovacionado, com o auto-falante gritando “camisa 11”, e a torcida completando com “Nikão”.

Nem mesmo o gol do General Díaz atrapalhou a noite, reservada para comemorações para os atleticanos, que se não foram embora satisfeitos com uma atuação convincente, ao menos se divertiram neste reencontro.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!