O Athletico bem que tentou – e muito – balançar as redes, mas ficou no empate sem gols com o Cruzeiro. Na noite desta quarta-feira (6), o Furacão recebeu a Raposa, na Arena da Baixada, foi agressivo, mas parou nas boas defesas do goleiro Fábio e no setor defensivo fechado do adversário. Com um a mais em campo desde os 14 minutos da etapa complementar, o time foi insistente, mas não conseguiu aproveitar a superioridade numérica.

Com o resultado, o Rubro-Negro soma 47 pontos e fica na sétima colocação na tabela. O próximo compromisso do Athletico será diante do São Paulo, no domingo (10), pela 32ª rodada. O confronto acontece no estádio do Morumbi, a partir das 16h.

No primeiro jogo sem Tiago Nunes, o time atleticano foi comandado pelo interino Eduardo Barros, técnico do time sub-19 do Athletico. O auxiliar foi Rogério Corrêa, ex-zagueiro, campeão brasileiro em 2001.

+ Confira como foi o jogo no Tempo Real da Tribuna!

Em um jogo equilibrado, em que os dois oponentes criaram chances de perigo e tiveram a chance de conquistar a vitória, as equipes não saíram do 0x0 e garantiram, cada uma, um ponto para seguir com seus objetivos na competição. O Athletico em busca de terminar a disputa entre os seis primeiros, e o Cruzeiro não ser rebaixado à Série B.

Precisando do resultado para tentar se afastar cada vez mais da zona de rebaixamento, a Raposa começou o confronto pressionando, tendo as melhores chances criadas. Apostando no jogo rápido, os comandados de Abel Braga tentavam surpreender a defesa atleticana. Aos oito minutos os visitantes chegaram com muito perigo. Em jogada pela direita, Éderson cruzou para Robinho, que pegou de primeira, mas chutou para fora.

+ Beccacece no Furacão? Argentino já foi procurado

Mesmo sem ter o controle do jogo, o Athletico conseguiu passar a trocar mais passes e, assim, avançar à área adversária. Aos 11, Madson recebeu um cruzamento na medida na área e cabeceou. A bola passou raspando e balançou as redes pelo lado de fora.

Fábio foi o responsável pelo placar zerado na Arena. Foto: Albari Rosa
Fábio foi o responsável pelo placar zerado na Arena. Foto: Albari Rosa

Após essa chance, o Furacão ‘acordou’ e chegou mais uma vez aos 14. Em cobrança de escanteio de Márcio Azevedo, Thiago Heleno encaixou uma forte cabeçada, mas Fábio salvou a Raposa. Aos 29, Bruno Guimarães fez bela jogada, carregou a bola na entrada da área, se movimentou para sair da marcação e mandou um chute cruzado, que exigiu bela defesa de Fábio. O camisa 1 ainda se esticou todo e fechou a meta aos 42, com chute de Rony, e aos 43, na finalização de Marco Ruben.

O goleiro da Raposa, aliás, foi o jogador mais exigido em campo durante os 45 minutos iniciais e operou alguns milagres que fizeram com que as equipes fossem para o vestiário com o placar zerado.

A segunda etapa teve início e a intensidade dos dois lados continuou. As equipes seguiram forte em busca do gol, agredindo o adversário, mas parando no trabalho dos setores defensivos oponentes.

Aos 12 minutos, o Cruzeiro balançou as redes e comemorou, mas o lance teve uma reviravolta. Sassá passou fácil por Thiago Heleno e assinalou, mas o VAR apontou que o atacante tocou a bola com a mão no lance. Por isso, o jogador, que já tinha um cartão amarelo, recebeu o segundo e foi expulso, aos 14.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Tentando aproveitar a situação de vantagem, o Rubro-Negro demonstrou todo seu repertório e pressionou muito o adversário com muito volume de jogo e diversas chegadas perigosas. Porém, o time mineiro estava determinado a voltar para Belo Horizonte com um ponto e conseguiu praticamente o milagre de evitar o gol e sair de campo ‘zerado’.

Ficha técnica

BRASILEIRÃO
2º Turno – 31ª Rodada

ATHLETICO 0x0 CRUZEIRO

Athletico
Santos; Madson, Thiago Heleno, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington (Marcelo Cirino), Bruno Guimarães (Camacho) e Léo Cittadini (Bruno Nazário); Nikão, Rony e Marco Ruben.
Técnico: Eduardo Barros

Cruzeiro
Fábio; Edílson, Cacá, Fabrício Bruno e Egídio (Dodo); Henrique, Ederson, Marquinhos Gabriel e Robinho (Ariel Cabral); David (Ezequiel) e Sassá.
Técnico: Abel Braga

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (FIFA-SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Bruno Salgado Rizo Nascimento Júnior (SP)
VAR: José Claudio Rocha Filho (SP)
Cartões amarelos: Léo Pereira, Marco Ruben (CAP);
Cartão vermelho: Sassá (CRU)
Renda: R$ 216.370,00
Público total: 12.885