O Athletico bateu o Botafogo por 1×0, na noite deste domingo (17), na Arena da Baixada, pela 33ª rodada do Brasileirão, em uma partida amplamente dominada pelo time atleticano, mas com direito a pênalti perdido e o VAR sendo acionado. Com gol de Thonny Anderson, o quarto dele no ano, o Furacão chegou aos 53 pontos, passou o São Paulo e assumiu a quinta colocação da Série A. O time volta a campo no próximo domingo (24), quando encara o Atlético-MG, às 16h, no Mineirão.

+ Confira como foi o jogo no Tempo Real da Tribuna!

Com mudanças na lateral e meio, nas entradas de Khellven e Thonny Anderson, o Rubro-Negro pressionou o time alvinegro em seu campo desde o início e não deixava o adversário passar do meio-campo. Nikão, de fora da área, e Khellven, de falta, obrigaram Diego Cavalieri a espalmar dois bons chutes.

O gol parecia questão de tempo, mas a melhor chance foi desperdiçada. Aos 24 minutos, após intervenção do VAR, o árbitro Braulio da Silva Machado assinalou pênalti em toque de mão de Igor Cássio. Na cobrança, Marcelo Cirino bateu para fora.

A equipe rubro-negra continuou em busca do gol, enquanto não dava espaço algum para o Fogão, que não deu um chute, nem no gol e nem para fora, na primeira etapa. Thiago Heleno, depois de bate e rebate na área, bateu em cima do goleiro. Khellven também apareceu bem duas vezes na área, mas foi interceptado nos chutes pela zaga do Botafogo.

Marcelo Cirino perdeu pênalti no primeiro tempo. Porém, falha não fez falta para a vitória do Furacão. Foto: Albari Rosa
Marcelo Cirino perdeu pênalti no primeiro tempo. Porém, falha não fez falta para a vitória do Furacão. Foto: Albari Rosa

Na volta do intervalo, o Athletico manteve a mesma estratégia e atuava em cima do time carioca. Em boa tabela de Thonny Anderson e Rony, o atacante invadiu a área e rolou para Nikão que, na pequena área, perdeu o gol ao chutar por cima do travessão.

Pouco depois, em troca rápida de passes, a bola parou em Camacho, que soltou uma bomba e o chute passou rente à trave. De tanto insistir, o gol saiu. Aos 13, o Furacão roubou a bola no campo de ataque, Rony driblou dois marcadores e tocou para Thonny Anderson, dentro da área, abrir o placar.

Logo após o gol, Cirino tabelou com Thonny Anderson e bateu rasteiro para fora. Nikão foi outro que finalizou perto do gol. O Fogão, com a necessidade de somar pontos, passou a se arriscar. Cícero, da intermediária, chutou forte para Léo espalmar.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Na bola parada, aos 21, o Furacão até marcou, mas foi invalidado. Após escanteio da direita, Thiago Heleno subiu sozinho por trás da zaga e cabeceou com força no canto esquerdo de Cavalieri. Em nova interferência do VAR, a arbitragem anulou o gol por impedimento de Cirino, que atrapalhou a visão do goleiro alvinegro, mesmo desviando.

Na reta final, Wellington obrigou Diego Cavalieri a fazer boa defesa. O Botafogo, sem criatividade, apostava apenas em bola alçadas na área, mas a zaga rubro-negra impediu qualquer tipo de perigo, o que transformou a partida em uma vitória tranquila.

Ficha técnica

SÉRIE A
2º Turno – 33ª Rodada

ATHLETICO 1X0 BOTAFOGO

Athletico
Léo; Khellven, Robson Bambu, Thiago Heleno e Márcio Azevedo; Wellington, Camacho e Nikão; Rony (Marco Ruben), Marcelo Cirino (Vitinho) e Thonny Anderson.
Técnico: Eduardo Barros

Botafogo
Diego Cavalieri; Fernando, Joel Carli, Gabriel e Lucas Barros; Cícero, João Paulo e Alex Santana (Rhuan); Luiz Fernando (Marcos Vinícius), Léo Valencia e Igor Cássio (Diego Souza).
Técnico: Albertom Valentim

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Braulio da Silva Machado (FIFA- SC)
Assistentes: Henrique Neu Ribeiro (SC) e Thiaggo Americano Labes (SC)
Gol: Thonny Anderson, 13 do 2º
Cartões amarelos: Thonny Anderson, Thiago Heleno, Robson Bambu, Márcio Azevedo (CAP); Joel Carli (BOT)
Renda: R$ 456.905,00
Público total: 18.091