Fake news, disparo de mensagens em redes sociais, intolerância, autoritarismo e crimes de ódio. Estas são algumas das palavras mais utilizadas nos noticiários brasileiros e internacionais. Só perdem atualmente para a covid-19. E na última quarta-feira (29), a Netflix lançou um filme sobre esta temática tão presente na sociedade.

Rede de Ódio é um longa polonês de suspense, que mostra a vida de Tomek, um jovem obcecado por Gabi, uma garota de família rica. Depois de ser expulso da faculdade de direito por plágio, ele consegue um emprego em uma agência de marketing, especializada em destruir a reputação de políticos liberais.

LEIA MAIS: Crítica de A Barraca do Beijo 2

Do mesmo diretor do elogiado e indicado ao Oscar de Melhor Filme Internacional de 2020Corpus Christi, Jan Komasa embarca pela primeira vez em produção para a Netflix. Suspense de roer as unhas, o filme trabalha os temas atuais de forma impressionante, revelando de forma sutil, alguns acontecimentos baseados em fatos reais. Entre eles, o conflito entre os apoiadores da política liberal versos a conservadora, a divulgação de notícias falsas, alienação, expansão de discurso de ódio e as ofensas gratuitas.

Cena de “Rede de Ódio”. Foto: Jaroslaw Sosinski/Netflix

Uma das questões apresentadas, faz referência à polêmica acusação feita ao Facebook, de ter contribuído com a vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas de 2014. A rede social de Marc Zuckerberg foi criticada por não possuir filtro de notícias falsas ligadas à rival do candidato republicano da época, a democrata Hillary Clinton. No longa, o trabalho do protagonista dispunha da mesma situação e mostra o suposto processo que fortaleceu e impulsionou a vitória do empresário americano.

CONFIRA TAMBÉM: O que chega à Netflix em agosto

O novato roteirista Mateusz Pacewicz, junto com a direção Jan Komasa, consegue denunciar, refletir e de certa forma, entreter o público em um ótimo filme para quem aprecia o gênero suspense, unindo os mais politizados e os fãs de obras com esta temática.

Cena de “Rede de Ódio”. Foto: Jaroslaw Sosinski/Netflix

A evolução do protagonista é nítida ao decorrer da trama. Sua capacidade maldosa e o anseio por vingança, conquistam qualquer espectador, deixando claro o problema virtual acarretado pelo uso maléfico da tecnologia, que acaba levando à corrupção do próprio indivíduo.

Realmente, Rede do Ódio é uma daquelas obras polêmicas que veio para ficar na história da sétima arte.

Avaliação: ⭐⭐⭐⭐
Pra quem curte: suspense
Pra assistir com: amigos ou sozinho
Filmes e séries semelhantes: Armas na Mesa, Homeland e Mr. Robot


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?