Filmes sobre adolescentes são um prato cheio para os cinemas conquistarem sucesso de bilheteria. A receita para este tipo de produção é simples: atores jovens lindos, um romance (quase) impossível e um dramalhão com pitadas de comédia. Pronto, agora é só servir.

Quem soube aproveitar bem este entretenimento foi a Netflix, mesmo com críticas negativas, os filmes deste gênero acaba agradando os seus clientes/telespectador. São os casos de Nosso último Verão, Crush à Altura, O Date Perfeito e A Barraca do Beijo, este último ainda surpreendentemente acabou ganhando uma continuação.

A Barraca do Beijo 2 chegou ao serviço de streaming na última sexta-feira (24). O novo drama mostra a vida de Elle e Lee após o verão e o retorno às aulas. A jovem tem o relacionamento abalado depois que seu namorado foi estudar em outro estado.

Bobinho, o segundo filme pode arrancar a atenção do público que ama o gênero e o dramalhão clichê. Vince Marcello, mesmo diretor do primeiro filme, utiliza a mesma formula que agradou o espectador do longa anterior.

Cena de “A Barraca do Beijo 2”. Foto: Divulgação/Marcos Cruz/Netflix

Interpretações exageradas e forçadas, conflitos previsíveis e final sem muita expectativa. A Barraca do Beijo 2 pode ter vários defeitos, desagradar grande parte do público da Netflix, porém consegue manter a legião de fãs conquistado no primeiro filme.

A trama do segundo longa, em uma visão geral, não é ruim. Os roteiristas Beth Reekles, Jay Arnold e Vince Marcello conseguiram criar um conflito que acaba se inspirando milhares de adolescentes e até mesmo os adultos que possuem um relacionamento a distancia e formam falsas situações por problemas de diálogos, comunicação e medo da verdade.

No entanto, o seu problema está na construção narrativa e desfecho. Falta certo requinte, a busca por uma solução inovadora, sair do pragmatismo. Enrolam em um pouco mais de duas horas de filme abrolhando conflitos banais e outros sem profundidas necessárias, além de novos personagens irrelevantes.

Cena de “A Barraca do Beijo 2”. Foto: Divulgação/Marcos Cruz/Netflix

Pode até soar que eu sempre vou criticar filmes de comédia-romântica juvenil, o que não é verdade. Fora de Série, Oitava Série, A Mentira e os clássicos As Patricinhas de Bervely Hills e Meninas Malvadas são ótimos.

Enfim, como bronca de pais que entra em um ouvido e sai pelo outro, confesso que minha crítica sobre este filme não servirá para os fãs conquistados. Ou seja, mesmo achando uma trama ruim, A Barraca do Beijo é o novo Crepúsculo. Resumindo, vão explorar a trama por novas sequências. Aliás, a plataforma já chegou a noticiar que a parte 3 vem em 2021.

Avaliação: ⭐⭐
Pra quem curte: romance
Pra assistir com: amigos, sozinho ou com crush
Filmes e séries semelhantes: Deixe a Neve Cair, Para Todos os Garotos que Já Amei e Sierra Burguess é uma Loser


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?