Era para ser uma carona para casa, mas virou rota para o terror. Cristiano Alessandro de Freitas, 25 anos, agrediu e estuprou uma garota, de 19 anos, filha de um cabo da Polícia Militar, depois de deixar uma casa noturna, em Pinhais, no fim da madrugada deste domingo (23). Ele foi preso por volta do meio-dia, em sua residência, na Rua Andorinha, Guarituba, em Piraquara. O rapaz confessou o abuso sexual, cometido na frente das duas amigas da vítima.

Eles se conheceram na balada. No fim, Cristiano ofereceu carona para a vítima, para as duas amigas e para o namorado de uma delas. O grupo entrou no Chevette de Cristiano, mas segundo as vítimas, em certo momento, o motorista expulsou o outro rapaz, ameaçando-o com uma chave de fenda.

Cavas

Como não aceitaram ir para um motel, ele levou as três para um matagal próximo às cavas que margeiam a rodovia João Leopoldo Jacomel. “Estava bêbado, assim como todos, mas isso não justifica o crime. Disse que havia gastado bastante dinheiro com elas e que alguma teria de ficar comigo. Como não quiseram, peguei essa garota e as outras ficaram do lado de fora do carro”, confessou Cristiano. “Eu a forcei, só agora percebo o trauma que causei a ela”, reconheceu o detido em entrevista a Rede Massa.

Depois do estupro, por volta das 7h, ele largou as moças no matagal e foi para casa. Somente às 10h, elas conseguiram entrar em contato com o pai da vítima. Rapidamente o cabo avisou colegas do 12.º Batalhão que resgataram sua filha e as amigas. Uma das garotas lembrou a placa do Chevette e Cristiano foi detido dormindo. “Contamos com apoio de equipes do 22.º BPM e do Batalhão de Guarda. Ele acordou e tentou escapar, mas não teve chance”, disse o tenente Neves do 12.º BPM.

Antecedentes

Cristiano foi preso ano passado, por roubo à mão armada, mas respondia em liberdade. Roupas femininas foram encontradas no veículo dele, mas não pertenciam as jovens sequestradas. Cristiano alegou que as roupas eram de amigas dele que voltaram com um amigo.

“Ele é pai de um garoto pequeno, mas estava separado da mulher e morava sozinho”, comentou Neves. O rapaz ficou preso em uma cela separada da delegacia de Piraquara, onde as vítimas foram ouvidas ontem à tarde.