Policiais de São José dos Pinhais e de Foz do Iguaçu, com o apoio da Polícia Federal, prenderam na tarde de segunda-feira (13) uma quadrilha envolvida com o tráfico de drogas e estelionato. No aeroporto internacional Afonso Pena em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, foram presas Maria Jose Gomes de Oliveira, 25 anos, e Paula Renata Angelin da Silva Morais, 18. Cada uma carregava dois quilos de crack escondidos em várias partes do corpo. No aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu os policiais prenderam Jackson Rodrigues Conceição Frazão, 26 e Ana Claudia Miranda Ferreira , 29.

Segundo a polícia, investigações iniciadas há um mês, procuravam descobrir uma fraude que estava sendo aplicada com a clonagem de cartões de crédito. Os falsários com informações dos cartões compravam passagens aéreas através da internet. Pelos levantamentos feitos em apenas uma empresa foram adquiridos mais de 100 bilhetes.

As duas mulheres presas estavam viajando com passagens compradas pelos falsários, quando foram abordadas pelos policiais e conduzidas a delegacia regional de São José dos Pinhais. Ao serem submetidas a uma revista pessoal, a droga foi encontrada presa no corpo por fitas adesivas, distribuídas pelas pernas, nádegas e abdome. Nenhuma tem antecedentes criminais e foram autuadas pelo tráfico de drogas..

Segundo o delegado-chefe da delegacia do aeroporto, Osmar Antonio Dechiche, as presas que haviam embarcado no aeroporto de Foz do Iguaçu, aguardavam conexão para o estado de origem quando foram surpreendidas. “Elas receberiam R$ 1 mil para levar a droga até Belém. Após serem descobertas resolveram confessar e entregaram o casal que estava em Foz prestes a embarcar para a capital paraense onde todos moram” explicou.

Elas confessaram à polícia de que esta droga pertence ao casal Jackson Rodrigo Conceição Frazao, 26 anos e Ana Claudia Miranda Ferreira, 29, também moradores na cidade de Belém. Para despistar a polícia, o casal embarcaria em Foz do Iguaçu no vôo seguinte com o mesmo destino. Com a informação a polícia de Foz do Iguaçu for alertada e fez a prisão do casal no aeroporto .

Para o delegado Dechiche, o homem é o provável chefe dessa quadrilha. Além de responder pelo crime de estelionato, será indiciado pelo crime de associação para tráfico de drogas. Como financiador ele pode pegar até vinte anos de prisão. A droga apreendida seria transformada em mais de dezesseis mil pedras rendendo aproximadamente R$ 200 mil reais ao traficante.

“Vamos continuar com as investigações para apurar a origem e o destino final do entorpecente. Existe a suspeita de Belém ser apenas uma conexão da droga que tinha como destino outros países”, finalizou o delegado.