Foto: Alberto Melnechuky

Dênis destruiu sua vida quando começou a usar crack.

O envolvimento com o tráfico de drogas, que já havia arruinado a vida do motoboy Dênis Robson Pinto, 28 anos, também foi responsável pela sua morte, na madrugada de ontem, na Cidade Industrial de Curitiba. Dênis foi morto a tiros, em frente ao portão de uma residência na Rua Doutor Ernani Simas Alves, nas Moradias Barigüi, por volta da 1h. A região é conhecida pela grande movimentação de traficantes e usuários de drogas.

Moradores relataram que ouviram tiros. Quando saíram, encontraram o corpo de Dênis caído, atingido por, pelo menos, cinco disparos. ?Vi marcas de tiros no rosto, no pescoço, no peito e na mão?, contou uma parente da vítima, que prefere não se identificar. No local, também surgiu a informação de que Dênis foi agredido e pediu por socorro, antes de ser baleado.

A morte do motoboy, segundo a família, começou a ser desenhada a partir de seu envolvimento com as drogas. ?Ele levava uma vida tranqüila, estava casado e trabalhava. Mas depois que começou a fumar crack, há cerca de dois anos, tudo mudou. Se separou, largou o emprego, e a dependência o levou, inclusive, a furtar?, lamentou a parente da vítima.

No fim do mês passado, Dênis teria dito que vinha sendo ameaçado e que, se passasse pela região – onde o crime foi cometido -, seria morto. Assustado, o motoboy passou os últimos três dias de sua vida dentro de casa e, quando saiu, foi assassinado.

À família, Dênis teria dito que devia dinheiro para traficantes, mas que já tinha pago a dívida. Mesmo assim, a polícia acredita que ele foi morto em função de algum desacerto relacionado às drogas e já tem, inclusive, informações sobre os supostos autores do crime. ?Temos descrições e apelidos de alguns suspeitos e iremos investigá-los?, afirmou o delegado Jaime da Luz, da Delegacia de Homicídios.

O motoboy morava com seu filho, de 4 anos, e com duas irmãs mais novas e a mãe, em uma casa próxima ao local do crime.