Uma ligação irregular feita pelo motorista do Gol cinza placa AJL 9856, de Curitiba, quase causou um acidente de graves proporções no Posto Cem, localizado na BR-116, um dos nove postos da capital que fornece gás natural veicular (GNV), ontem pela manhã.

O motorista do Gol colocou um botijão de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) e ligou nele, encoberto pelo carpete do carro, a tubulação que deveria estar conectada ao cilindro de gás natural. Com isso, o gás natural foi direcionado para o botijão de GLP (que agüenta uma pressão máxima de 15 atmosferas – enquanto o cilindro próprio para GNV é projetado para receber pressões que vão de 180 a 220 atmosferas) e houve o rompimento súbito e violento do botijão, com deslocamento de ar, sem fogo, que destruiu completamente o Gol.

Por volta das 8h30, o motorista chegou no Posto Cem para fazer o abastecimento. O frentista solicitou que ele saísse do carro e abriu o porta-malas para verificar se o cilindro estava instalado corretamente. Feitos esses procedimentos, iniciou o abastecimento de GNV. Só que o botijão de GLP foi o que recebeu o combustível, causando a explosão.