Alberto Melnechucky
Amigos tentaram socorrer Juarez, mas não conseguiram.

Festa, bebida alcoólica e confusão. Estes foram os ingredientes que, misturados, causaram a morte do jovem Juarez Santana Cordeiro, 19 anos, no início da madrugada de ontem, em Pinhais. Ele foi assassinado com cinco tiros no pátio de um posto de combustível, na Rua João Leopoldo Jacomel, Jardim Guairacá.

A reunião de pessoas no posto é comum nos fins de semana, porém, desta vez, a confraternização ficou fora de controle. O cabo Costa, do 17.º Batalhão da Polícia Militar, contou que pouco antes da meia-noite, já havia sido acionado para verificar uma confusão no posto. Depois, por volta de 1h, a ocorrência era mais grave. ?Recebemos a informação de que havia uma vítima de disparos de arma de fogo?, disse. O baleado era Juarez, caído sem vida no chão do posto, em conseqüência dos tiros que o acertaram nas costas e na cabeça. Uma equipe do Siate até chegou a atender a vítima, mas foi em vão.

A polícia apurou poucas informações a respeito do assassinato, apesar do crime ter sido presenciado por um grande número de pessoas. Muitas delas, inclusive, continuavam dançando ao som de um bailão que acontecia a poucos metros do posto e que não foi interrompido nem mesmo pelo fato de um jovem ter sido morto nas proximidades. ?Ninguém fala nada, ninguém sabe quem atirou. Vamos ver depois, no decorrer da semana, se alguém vai fornecer algum dado para a polícia?, relatou o cabo.