Mais uma vez o final de semana foi violento em Curitiba e Região Metropolitana. Além das duas mulheres assassinadas, outros três homens foram mortos a tiros, e mais dois corpos em decomposição foram encontrados entre sábado e domingo.

Às 23h de sábado, o mecânico Diego Vinícius de Freitas, 20 anos, foi morto a tiros na Rua Rio Solimões, Jardim Weissópolis. Policiais militares encontraram pelo chão cápsulas de pistola calibre 9 milímetros. A equipe da Delegacia de Pinhais ainda tem poucas informações sobre o autor dos disparos.

Pouco tempo depois, Tiago Pereira, 27 anos, voltava com o pai de uma lanchonete quando uma pessoa se aproximou por trás deles, atirou contra Tiago e fugiu pela Rua Setembrino Portela Neto, na Vila Sabará, Cidade Industrial de Curitiba. O rapaz morreu na hora. De acordo com o delegado Dirceu Schactae, da Delegacia de Homicídios, Tiago já esteve preso e ganhou a liberdade há aproximadamente dois meses.

Quase no mesmo horário, outro homem foi encontrado morto a tiros na Rua Santa Alves Petra, Vila Pantanal, no Alto Boqueirão. A vítima, de aproximadamente 30 anos, carregava no bolso apenas um cartão de banco em nome de Paulo Cesar Ossoski. Segundo o delegado Dirceu, este cartão foi utilizado para uma compra por volta das 15h. A vitima vestia jaqueta preta, boné creme, calça e tênis azul.

Decomposição

Na tarde de sábado, dois corpos em decomposição e sem documentos foram encontrados, um no Campo do Santana, em Curitiba, e outro em Campina Grande do Sul. A causa da morte das duas vítimas poderá ser determinada após exames no Instituto Médico Legal de Curitiba.

O primeiro corpo foi localizado em uma chácara na Rua Guido Jorge de Souza, Campo do Santana. A vítima vestia camiseta do Atlético, blusa de moleton azul e calça jeans.

O segundo cadáver estava em um matagal na Rua Marco Nicolau Strapasson, Cohapar, Campina Grande do Sul. O homem vestia blusa de lã azul, camiseta vermelha, calção de tactel cinza, calça jeans, meias marrons e tênis branco.