Foto: Fábio Alexandre/Tribuna
"Japonês", Júlio e "Preto",
membros do crime organizado.
Astra, Focus e Santana,
todos roubados e recuperados.

Armas, drogas, documentos falsos e veículos roubados. Todo esse material foi apreendido por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) durante a prisão de uma poderosa quadrilha, acusada de cometer diversos crimes, principalmente roubo contra residências, veículos e estabelecimentos comerciais. Segundo a polícia, os indivíduos presos em Curitiba e Região Metropolitana são integrantes da facção criminosa paulista Primeiro Comando da Capital (PCC). Estão recolhidos na delegacia: Samuel dos Anjos Oliveira, 22 anos, o "Japonês"; Elison Antônio Pereira, 27, o "Orelha"; Júlio César dos Anjos, 35, e Geandro Ricardo Ribeiro, 27, o "Preto". Dois adolescentes – de 17 anos -também foram detidos.

De acordo com o delegado Rubens Recalcatti, estavam sendo investigadas as ocorrências de roubos registradas na DFR e apurou-se que alguns delitos haviam sido praticados por uma quadrilha composta por integrantes que tinham antecedentes criminais e eram foragidos da Justiça. Na quarta-feira, uma ação da DFR foi deflagrada, sob coordenação do delegado Recalcatti, que contou com a participação do delegado Gil Tesserolli e dos investigadores Luiz Eraldo, Geremias, Marcelo, Edmilson, Gaede e do escrivão Wanderley.

Em uma residência no bairro Santa Cândida (Curitiba), os policiais prenderam Júlio, Elison e Samuel e, em poder do trio, foram apreendidos quatro revólveres – um deles dourado -, uma pistola ponto 40 (uso restrito) com numeração lixada, o Astra placa ARS-0231 e o Santana placa LYX-1149, ambos com alerta de roubo. Na seqüência, Geandro foi preso em São José dos Pinhais com o Focus prata, placa AMS-6390, também roubado. Em Colombo, dois adolescentes de 17 anos foram apreendidos, e com um deles foi encontrada uma pedra de crack, pesando cerca de 30g.

A DFR continua investigando a possibilidade de mais pessoas integrarem essa quadrilha. Recalcatti comemorou a desarticulação do

grupo e espera o comparecimento de vítimas à DFR para o reconhecimento dos detidos. Dentre os assaltos imputados à quadrilha, está o realizado contra a casa de um oficial do Exército, em 17 de fevereiro, no Cabral.

Dois revólveres que foram aprendidos com os marginais são de propriedade do oficial.

Será averiguada se a pistola ponto 40, que está com numeração lixada, é produto de roubo e se pertence à Polícia Civil.

Entre os presos, três deles são foragidos do sistema penitenciário. Samuel é evadido desde agosto de 2005; Júlio, desde dezembro de 2005 e Elison, 21 de fevereiro deste ano.