Um menino, de 11 anos, foi um dos dois mortos na fuzilaria ocorrida na tarde de ontem, na Vila Zumbi dos Palmares, em Colombo. Quatro foram para o hospital. O crime ocorreu na Rua Francisco Rodrigues, paralela à BR-116.

Os assassinos seriam pelo menos cinco homens que fugiram numa Blazer preta. Para a polícia, o crime foi motivado pela disputa por ponto de tráfico de drogas com grupo rival da Vila Liberdade (localizada do outro lado da rodovia). Um dos suspeitos identificado, foi preso há poucos dias e saiu por alvará de soltura.

O grupo chegou atirando e matou Rafael Fernandes dos Santos, 11 anos, que estava na frente de casa, e Lucas Gomes de Oliveira, 17, na sala do sobrado, perto da escada.

Miriam Fernandes, 42, mãe da criança, e seu outro filho Thiago Fernandes, 23, foram feridos. Ela foi encaminhada por terceiros ao Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, e ele, pelo Siate ao Hospital Evangélico. Eder Luís Fernandes, 29, levou seis tiros e está internado no Hospital Cajuru.

Alziria Maria de Jesus, 96, levou tiro de raspão na perna e também foi levada ao hospital. De acordo com a Polícia Civil, uma idosa – vizinha das vítimas -passou mal e também foi levada ao hospital.

Sondagem

Populares contaram que, pela manhã, os rapazes, na Blazer, pararam em frente à residência e provocaram as vítimas. “O pessoal ficou chamando para a briga, mas eles não saíram de casa”, disse.

Por volta das 15h, o mesmo veículo retornou, mas, dessa vez, os ocupantes desceram e abriram fogo contra o sobrado usando armas de calibre 9 milímetros, 380 e ponto 40, todos de uso restrito. “Eles vieram para matar quem estivesse na frente”, avaliou o superintendente Fioravante Perruchon, da delegacia do Alto Maracanã.

Muitos motoristas que passavam pela BR pararam para acompanhar o que havia ocorrido. Moradores da Vila Zumbi também ficaram chocados, sobretudo com a morte da criança.

Átila Alberti
Lucas não teve pra onde correr e foi executado.

Suspeitos estão identificados

O superintendente da delegacia do Alto Maracanã contou que o mesmo sobrado já havia sido alvo de duas batidas da Polícia Civil, depois de receber denúncias de que ali era ponto de venda de droga.

“Todas as vezes que passava pela BR via um movimento intenso de pessoas em frente à casa, que costumava ter muita criança. Mas durante as batidas, nada foi encontrado”, lembra Fioravante.

Ele acredita que dois dos autores da barbárie sejam Jackson Camargo Ramos, o “Gugu”, 19 anos, e Juan Bruno França Felipe, 20. “Prendemos o “Gugu’ há três semanas e ele já foi solto por alvará de soltura”.

Quadrilha

Jackson e Juan integram uma quadrilha suspeita de roubar carros de luxo, da qual também faz parte Paulo Henrique de Lima Souza, 20, o “Bicho Doido”. Os três foram presos no dia 12 do mês passado por policiais da delegacia do Alto Maracanã.