O caseiro de uma chácara matou a própria filha, de 8 meses, com um tiro acidental, na noite de segunda-feira, em Mandirituba. Maria Letícia Bagdzinski da Cruz foi atingida no pescoço e morreu na hora.

A fatalidade aconteceu na localidade de Areia Branca dos Assis, às margens do quilômetro 154 da BR-116. O pai da criança, Genildo Prestes da Cruz, foi levado para a delegacia local, liberado e indicado por homicídio culposo (sem intenção de matar).

Segundo o delegado Rogério Haisi, da delegacia de Fazenda Rio Grande, responsável pelo caso, ele também responderá pela posse irregular da arma, caso não tenha os documentos regularizados.

A mãe, Juceli de Castro Bagdzinski, que segurava o bebê no colo no momento do disparo, foi atingida na pele pelo chumbo que se espalhou. Por precaução, ela foi levada para o hospital e já voltou para casa.

Genildo contou à polícia que, pouco antes das 22h, ouviu barulho do lado de fora da casa e ficou preocupado. Pegou a espingarda cartucheira calibre 28 que estava guardada no quarto e correu para ver se alguém havia entrado na chácara.

Na sala, a mãe dava banho na criança, num banheira colocada sobre a mesa. Por algum motivo, a arma de Genildo disparou acidentalmente e acertou o pescoço da pequena Maria. O tiro matou o bebê na hora e espalhou chumbo sobre a pele de Juceli.