Márcio e Neuza guardavam
drogas dentro de casa.

Dois cães do canil da Polícia Militar, treinados para farejar drogas, foram protagonistas de uma operação de rotina da PM que resultou na apreensão de 200 pedras de crack ontem à tarde. O faro certeiro de “Faruk”, um pastor-alemão, e “Átila”, um rottweiler, revelou a droga, que estava escondida no fundo falso de um sofá, dentro de uma residência no Bairro Alto. Duas pessoas foram presas pelos policiais do canil da Companhia de Choque.

Conforme relatado pelo aspirante Antônio, uma viatura do canil fazia patrulhamento de rotina pela Rua Marco Polo quando os policiais notaram um homem em atitude suspeita. Márcio Aparecido Antunes, 28 anos, estava encostado no muro em frente à casa de Neuza Maria Ferreira, 37. Quando viu o veículo policial se aproximando, Márcio entrou rapidamente na residência. Os policiais fizeram uma busca pessoal no suspeito e nada encontraram, mas “Átila” começou a farejar a casa, dando sinal de que poderia haver droga escondida no local.

Dupla

Outra viatura do canil foi chamada para dar apoio à operação. “Faruk”, o pastor, entrou em ação junto com o outro cachorro. Em poucos minutos, a dupla de policiais caninos deu conta da tarefa, apontando para o sofá da sala. Bastou que os PMs revistassem com mais cuidado para encontrar as 200 pedras de crack. Os policiais também encontraram na casa um revólver Taurus calibre 38, com algumas cápsulas deflagradas, e munição para pistola 9 mm e um fuzil 762.

Os dois presos negaram ter conhecimento sobre a droga e disseram que não têm nada a ver com o caso. Neuza, que é viúva, ficou bastante abalada, repetindo que não sabia como o crack e a arma apareceram na casa dela. A mulher declarou que conhece Márcio porque ele “vive lá em casa com os meninos”. A dona-de-casa tem três filhos adolescentes. Um deles desapareceu quando a polícia chegou.

Os casal foi encaminhado à delegacia do 5.º Distrito (Bacacheri), onde foi autuados em flagrante por três delitos: tráfico de drogas, receptação e porte de arma.