O empresário ex-Big Brother Edilson Buba (foto), 33 anos, completa amanhã um mês atrás das grades, e, conforme os trâmites judiciais, deverá continuar detido por pelo menos mais dez dias. O próximo passo do processo movido contra ele será o da Justiça acatar ou não o pedido dos advogados de Buba, que defendem a desclassificação da denúncia de tráfico para uso de drogas. Caso isso aconteça, Buba deverá ganhar a liberdade no próximo mês.

O prazo para entrega da defesa preliminar de Buba encerrou-se ontem, quando os advogados a enviaram para o juiz Eduardo Fagundes, da 2.ª Vara Criminal de São José dos Pinhais. O documento será encaminhado ao Ministério Público, que terá cinco dias para analisá-lo e depois reencaminhá-lo ao juiz. Em um novo período de cinco dias, Fagundes irá informar se entende a denúncia por tráfico ou se a desclassifica para uso.

Preso

Buba foi preso no dia 26 de abril, no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, portando 18 comprimidos de ecstasy – a droga do amor -, aproximadamente 50 gramas de maconha e seis cápsulas de suplemento alimentar. Depois de passar alguns dias na delegacia do município ele foi encaminhado ao Centro de Observação Criminológica e Triagem (COT), ao lado do Presídio do Ahu, onde permanece recolhido em uma cela individual.